Não é novidade para nenhum mortal que quando estamos apaixonados, perdemos a noção do tempo e a razão em certas situações. Mas porque algumas relações que tinham tudo para dar certo, acabam indo por água abaixo? A convivência humana nunca foi fácil e muito menos prazerosa e o melhor a se fazer em uma relação é ceder e sempre se colocar no lugar do amado.

Essa teoria de que os opostos se atraem nem sempre é verdadeira. No mundo real, pessoas que se relacionam e têm diferentes gostos, ideias e formas de pensar, só dão certo se houver muita conversa e concessão de alguma das partes. Caso contrário, o relacionamento é fadado ao fracasso, pois conviver com uma pessoa totalmente diferente de você, pode ser extremamente desgastante.

Segundo uma recente pesquisa americana, pessoas que são parecidas em quase tudo tendem a dar mais certo em relacionamentos do que o oposto.

Uma pessoa que gosta de se sentir livre mesmo estando em uma relação estável e que não quer criar raízes com o parceiro, que por sua vez, prefere estabilidade e estrutura, pode ser uma furada. Se os dois não querem a mesma coisa da relação e não preveem um futuro juntos, é melhor cair fora antes que o envolvimento seja maior e a separação ainda mais dolorosa.

Uma relação entre duas pessoas que não gostam de ceder, dificilmente vinga. Brigas constantes e desgastes prematuros serão normais em uma relação assim. Isso porque toda relação é feita de concessões de ambas as partes e se o parceiro não quer fazer isso pelo bem do relacionamento, é uma pessoa que não vale a pena insistir em manter ao seu lado.

Abrir mão de nossos desejos, às vezes, se torna necessário.

É claro que duas pessoas que se relacionam tiveram criações, costumes e visão de mundo diferentes e isso é perfeitamente natural. Mas se o casal diverge em assuntos que dizem respeito à família, amigos e trabalho, raramente irão dar certo, pois as trocas de farpas serão constantes e automaticamente a relação vai se tornar extremamente chata e cansativa para ambos. Todo cuidado na escolha do parceiro é pouco.