Segundo afirmações feitas por parlamentares e defensores do atual presidente do Brasil, Michel Temer, necessitou-se instituir a pec 241/2016 para se obter nos próximos 20 anos um novo regime fiscal, a fim de limitar os gastos públicos em 2017 referentes às despesas primárias realizadas no exercício desse ano de 2016. Inicialmente, buscar-se-á ajustar as despesas do setor público, que congela gastos em saúde, trabalho e educação por 20 anos, porém não há restrições ao pagamento de juros das atuais dívidas.

Também ficam fora desse novo regime fiscal, por exemplo, as transferências constitucionais para Estados e municípios, a complementação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), recursos para a realização de eleições, despesas de capitalização de estatais não dependentes e outras transferências obrigatórias.

A partir de 2017, prevê-se um gasto mínimo de 18% de arrecadação para a educação e 15% para a saúde e, a partir de 2018, será feita a correção desse piso pela inflação do ano anterior, formalizando assim o início dos próximos 20 anos sem investimentos na área da saúde, ou melhor, do Sistema Único de Saúde (SUS) e dificultando ainda mais a classe trabalhadora por deixar de ser investido mais ou menos R$ 400 bilhões, aumentando assim a falta de leitos nos hospitais, maiores esperas por exames, além de prontos-socorros ainda mais precários se comparados aos atuais estados dos mesmos.

Não haverá recursos e nem será possível realizar a compra de novos equipamentos, contratação de servidores e construção ou manutenção dos prédios hospitalares, podendo esses futuramente sofrer com a desfalcada infraestrutura na área hospitalar, que provavelmente não disponibilizará o devido suporte adequado para a população.

Entende-se pelos que são contraa PEC que uma reforma positiva para a saúde econômica e fiscal do país seriaaquela quealiviasse a situação financeira do paíssempoupar a educação e a saúde de restrições nos investimentos.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo Política

Já para os defensores, a mesma é uma medida de longo prazo que evita medidas bruscas, como o corte radical nos investimentos públicos e tambémo aumento de impostos para buscar o reequilíbrio das contas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo