A rejeição da presidente Dilma, fez, de Michel Temer, uma opção plausível para governar a nação brasileira. Apesar da maioria da população não aprovar o governo de Michel Temer, ainda assim, na ocasião do impeachment, a receptividade até que foi plausível, devido às circunstâncias.

Mas não demorou muito para que as instabilidades ocorressem. Na atualidade, podemos afirmar seguramente que, o governo de Michel Temer está em decaída.

Em meio a tantas turbulências, surgem dúvidas do tipo: "foi necessário retirar Dilma do poder?", ou, "será que Temer conseguirá cumprir o mandato, sem sofrer um possível impeachment?"

Essas são dúvidas constantes que, são ainda mais questionadas em ocasiões como esta. Só para termos ideia do quão desestabilizado se encontra o governo Temer, há delações na Lava Jato, que, citam o atual presidente.

Recentemente, também pudemos conferir o caso de renúncia do mistro da cultura.

A renúncia ocorreu devido a denúncias. E não é só isso, temos também o caso da PEC dos gastos, a titulada PEC 241.

Essa proposta de emenda constitucional, é bastante polêmica. Segundo seus idealizadores, o Brasil possui uma dívida gigantesca, sendo que, a única maneira de quitá-la, ou até mesmo amenizá-la, é através do corte de gastos públicos.

Esses cortes envolvem a diminuição de dinheiro aplicado sobre diversos setores da sociedade.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Política

Como exemplo, programas sociais como, "minha casa minha vida", poderão sofrer sérios impactos pejorativos, e neste caso, menos pessoas serão beneficiadas pelo governo.

Além disso, a PEC prevê a diminuição de gastos com saúde e com a educação. Este com certeza, é o principal dos motivos que levam algumas pessoas a protestarem contra esta proposta. Apesar dos cortes referentes à saúde e educação, começarem a valer a partir de 2017, ainda assim, a rejeição é imensa.

A PEC 241 é tão polêmica que, até hoje não foi aprovada, e dificilmente será, devido justamente, às rejeições apresentadas pela população em geral.

Outras medidas que provam a decadência do governo Michel Temer, é a proposta de reforma trabalhista, e de reforma previdenciária. Todas essas propostas, descaradamente são medidas impopulares, e por este motivo, as críticas e não aceitação, é algo relativamente esperado.

Se este governo se sustentará até o final, só o tempo dirá; mas certamente, haverá grandes desafios e barreiras a serem quebradas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo