Imagine que você passou 35 anos de sua vida guardando dinheiro em uma conta poupança, e quando decidiu utilizá-la, viu que havia sido saqueada. É o que pode acontecer com o brasileiro. Não é muito diferente do que o Governo Temer fará com a Previdência Social, caso as regras anunciadas sejam implementadas em breve. Mas, em que isto pode nos afetar e por que este tema guarda polêmica tão grande? É o que vamos procurar entender agora.

O Direito Trabalhista brasileiro, até então, poderia ser classificado como um dos mais favoráveis ao trabalhador em todo o mundo, por garantir uma série de benefícios que remontam aos anos 1940, ainda no Governo Vargas. Um deles é a criação da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), uma espécie de "constituição" do Trabalho. Ela garante, acima de tudo, que o empregado tenha mantido os seus direitos, inclusive em casos especiais como doença, por exemplo.

Com a reforma, a CLT será praticamente abolida. Em seu lugar passa a vigorar o acordo entre sindicato e patrão. O patrão terá liberdade para agir como quiser, sem questionamentos.

Agora, imagine a situação: o seu patrão quer que você trabalhe por 12 horas, com 30 minutos de descanso e você não pode se aposentar integralmente antes dos 65 anos de idade. Em que esta reforma beneficia o trabalhador? Em que moderniza?

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Vagas Michel Temer

Ela simplesmente favorece o patrão e deixa o trabalhador sem proteção.

Junte-se a isto um congelamento de gastos por 20 anos em saúde e educação, áreas prioritárias. Como o trabalhador reunirá as condições necessárias para manter sua família, sem apoio do Estado?

Além do mais, estas mudanças são só as primeiras. Muitas outras podem vir, trazendo a abolição de diversos outros direitos, como o 13º salário, as férias, o descanso remunerado e outros.

Como pode o trabalhador acreditar que isto é "modernização", como diz a grande mídia? Para entender de quem são os interesses que eles representam, é preciso lembrar de uma capa de "O Globo", de 1962, quando João Goulart criou o 13º. A capa dizia: "Considerado desastroso para o país um 13º salário".

E essa desculpa de que é por déficit não dá para engolir. Por que não cortam os juros e diminuem os lucros dos grandes capitalistas?

Eu acredito que estas propostas só serão vencidas com a organização dos trabalhadores. E então, vamos deixar que eles nos tirem tudo o que às duras penas conquistamos em anos de luta? É uma reflexão que todos precisamos fazer.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo