O sistema carcerário do Brasil é absurdamente caro. Os gastos do governo com cada presidiário são quase três vezes maior que o investimento em Educação de nível superior. Uma pesquisa realizada em 2011 concluiu que o governo gasta, em média, R$ 40 mil com cada detento. Já o investimento em educação de ensino superior se aproxima a R$ 15 mil por aluno.

Essa diferença de "gastos" é ainda maior quando comparamos presídios estaduais, onde está a maioria dos detentos, e alunos do ensino médio (nível de ensino que fica a cargo dos governos estaduais).

A distância nesse caso é ainda maior, superando em quase nove vezes os investimentos com educação. Enquanto o governo gasta em média R$ 21 mil, anualmente, com cada detento do sistema prisional, ele investe em média apenas R$ 2.300 na educação, por aluno.

Tal comparação nos mostra a diferença entre investimentos em educação e gastos com sistema carcerário. Podemos observar que o gasto com cada presidiário é altíssimo se comparado ao custo da edução.

Para pesquisadores, essa comparação revelou dois problemas enfrentados pelo país: o gasto de forma ineficiente no sistema prisional e o baixíssimo investimento na área educacional.

Considerando as matrículas atuais, o país deveria fazer um investimento maior na educação na faixa de 40% a 50%, apontou a Campanha Nacional pelo Direito a Educação. O apontamento foi possível graças ao desenvolvimento de um cálculo chamado "custo aluno-qualidade".

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Educação

Para tal, eles levaram em consideração os gastos (salário de magistério e equipamentos) para que assim haja uma oferta de ensino de qualidade. E para que o Plano Nacional de Educação funcione de forma efetiva é preciso um investimento de R$ 327 bilhões.

O investimento em educação poderia ser ainda melhor se focado na aprendizagem, destacou Mozart Neves Ramos, do Todos pela Educação e do Conselho Nacional de Educação (CNE).

Para completar, o número de agentes por preso é maior que o número de educadores por aluno. Uma realidade que precisa mudar de forma urgente.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo