A temporada do futebol nacional está começando e os clubes estão se reforçando para os campeonatos que terão pela frente. Os destaques entre as contratações são veteranos com bastante rodagem no futebol.

Thiago Neves, Montillo, Felipe Mello, Jô, Conca, D´Alessandro, entre outros, são os principais nomes que retornam ao Brasil esse ano. Fora os experientes que já estavam no Brasil em 2016 e chamaram a atenção como Ricardo Oliveira, Zé Roberto, Robinho e Diego Souza.

Mas qual o melhor reforço para os clubes daqui? Garotos da Copinha, os veteranos ou uma mescla dos dois?

Muitos falam que o melhor seria apostar nos veteranos pois a qualidade do futebol brasileiro é fraca e eles sempre se destacam e destoam por aqui. Isso é um fato. Mesmo mais velhos, os "experientes" costumam fazer sucesso por aqui mesmo em fim de carreira e numa idade mais avançada. Para esses, apostar em garotos é arriscado pois sentiriam a pressão.

Outros afirmam que a solução é apostar na molecada citando o exemplo do Santos de 2002 que fez um time com garotos de qualidade e que não sentiram a pressão e ganharam o Brasileirão depois de 18 anos.

Esses dizem que preferem abrir mão dos veteranos, colocar um técnico experiente e que sabe lidar com moleques e rechear o time de jovens promissores que costumam aparecer mais nesse época de Copa SP de Futebol Jr.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Palmeiras Santos

Por fim, há os que defendem que o melhor caminho é a mescla de experiência e juventude. O físico, fôlego e dedicação dos meninos com a tarimba dos veteranos.

Palmeiras e Santos, campeão e vice do Brasileirão 2016, conseguiram mesclar experiência com juventude e tiveram um belo ano. O Verdão que ergueu o troféu, apostou em jovens como Tchê Tchê e Gabriel Jesus atrelados a experiência de Fernando Prass, Zé Roberto e Jean.

O Santos também apostou na mescla. Experientes como Ricardo Oliveira e Renato com a juventude de Zeca, Thiago Maia e Vitor Bueno e levantou o caneco do Paulistão e ficou em segundo no Brasileirão.

O Grêmio foi outro time que apostou na mescla e também foi campeão depois de muitos anos. Meninos como Wallace, Luan e Pedro Rocha junto com os veteranos Maicon, Douglas, Edilson e Marcelo Grohe levaram o tricolor gaúcho ao título da Copa do Brasil depois de 15 anos.

Se eu fosse dirigente, Também apostaria na mescla pois um pode ajudar o outro no que falta e assim o grupo e o time se completar melhor.

E você, o que acha melhor para seu clube?

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo