Seleção nem tão natural

Mais constantes a cada dia, podemos observar o número crescente de proprietários de #Animais domésticos. Desde os mais comuns como cães e gatos, até os mais extravagantes como cobras e porcos, parece que o ser humano está ficando cada vez mais próximo da fauna, enquanto se distancia de seus semelhantes de espécie.

Se por um lado podemos avaliar a consideração de cuidados e interesses pelo animal indefeso, por outro evidencia-se o descomprometimento dos humanos frente a outros humanos. Se faz interessante salientar que se analisarmos o caráter da violência humana, todo bichinho é passível de reações nem sempre muito amistosas também, fato este evidenciado pelos casos onde o #pet pode atacar, inclusive, o próprio dono.

Avaliando-se as causas da preferência de convívio animal ao humano, podem ser muitas as variáveis, desde a busca pela submissão do animal, fobia à própria espécie humana, isolamento ou até quem sabe decepção e frustração relacionadas com os demais.

A certeza que se propaga é a de que os bichos de estimação são fiéis e amam incondicionalmente seus donos, mesmo com deslizes de ambas as partes. Para um bichinho, tudo é perdoável.

Animais em alta

Pode se observar a característica em todas as culturas de tolerância e aceitação de animais. Com vastos propósitos como domesticação, alimentação, companheirismo, adorações religiosas, além de outros, parece natural em todas as regiões, este ponto em comum, mesmo que mudem o tipo de relação a qual se destina, ou o bichinho em questão.

O poder exercido por um gesto de amizade humana é muitas vezes questionável, e trocado por um abanar de cauda, ou roçar de cabeça, quem sabe até uma lambida de língua áspera, ou um salto que arrebata para trás.

Qualquer troca de afeto com o animal é aceita e quase sempre bem vinda. Afinal onde, ou de quem se ouviu falar a respeito, de um gesto falso de amizade por parte do animal para com o seu dono. Animais agem instintivamente, sem premeditação de atos.

Ao pet com carinho

Sabe-se de pessoas que deixam animais amparados com heranças, luxos e amor. Mais frequentemente, nota-se as pet shops dominando o comércio. Existem salões de beleza especializados, espaços destinados a creche, hospedagem e até terapia psicológica dos bichinhos, tudo para demonstrar o respeito e agradecimento perpétuo.

Apreciando-se todas estas regalias criadas e a demanda neste setor, destaca-se com louvor o empenho humano de agradar seus fieis bichinhos em sinal de reconhecimento eterno. #2017