Esta semana, navegando pelas redes sociais, me deparei com mais um vídeo do deputado Jean Wyllys (PSOL -RJ) onde ele comenta a respeito do projeto de lei 5358/16 justamente do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC- SP).

A proposta trata da criminalização a apologia ao comunismo e ao nazismo, respectivamente. Atualmente está parado CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) da Câmara Federal.

O projeto de lei também altera a Lei Antirracismo 7.716/16. Os dois lados dessa discussão representam atualmente o que há de mais latente em polarização Política no país, sendo que um é extremamente de direita e o outro esquerda.

Não é de hoje que o deputado Jean Wyllys se envolve em polêmicas envolvendo a família Bolsonaro. Ao que parece, um lado acaba promovendo o outro, seja sem querer ou até mesmo de caso pensado.

O fato é que no momento político que vivemos, acaba que isso se torna um ato improdutivo e nada ético. E onde está o problema disso? Lembrando que o deputado Jean já está respondendo na Comissão de Ética da Câmara sobre o fato de ter cuspido no deputado federal Jair Messias Bolsonaro (PSC-RJ), pai de Eduardo, na votação do impedimento da ex-presidente Dilma Rousseff, onde, através de leitura labial, foi constatado que premeditadamente Jean disse: “Vou cuspir nele”.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Política

Ação que, infelizmente, foi repetida por artista global ao ser questionado por jornalistas sobre seu posicionamento politico também esquerdista.

O maior problema dos comentários é a forma como ele se dirige ao seu colega deputado Eduardo Bolsonaro, às gargalhadas, com trechos dessa forma: "Deputado idiota sem cérebro...”, ‘’É muito idiota para esse mundo...’’, ‘’Esse deputado idiota...’’.

Enfim, nós sabemos, acreditamos e respeitamos a liberdade de expressão seja de um cidadão comum ou de um representante do povo, como é o caso do nosso ilustre deputado Jean.

O problema é que, seja um cidadão comum ou uma autoridade, deve estar sempre pautada na educação e ética.

Imagine se o cidadão comum começa, por exemplo, a fazer vídeos ofendendo a polícia, políticos ou quaisquer autoridade? Como vão ficar as coisas? Vivemos em sociedade e existem leis escritas e implícitas. Portanto, no que se refere aos nossos representantes a responsabilidade é dobrada, pois são formadores de opinião e se tornam exemplos a serem seguidos.

Ao que nos consta, o deputado Jean Wyllys é jornalista, escritor e professor universitário, além do atual cargo que exerce. Portanto, um formador de opinião maciço que dispõe de diversos meios de comunicação e naturalmente seguidores e simpatizantes de suas ideias e posturas.

Veja o vídeo captado nas redes sociais:

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo