Porque associamos o sucesso à #Felicidade? Mas o que é #sucesso para você? No dicionário, temos como exemplos para a definição de sucesso: “bom resultado, êxito” ou “de grande popularidade”.

Em nossa sociedade, entendemos que sucesso é ter um cargo alto em uma empresa, ser bem-sucedido financeiramente ou ser famoso. Mas aquele funcionário que está satisfeito com o baixo ou médio cargo que ocupa, que venceu vários obstáculos, e que apesar de ganhar menos que seu chefe, não tem interesse algum em ter as responsabilidades daquele chefe. Será que esse profissional não é um profissional de sucesso?

Será que aquele cantor que canta em bares, não tem sucesso, só porque não é conhecido nacionalmente? Mas ele tem êxito com sua música, é conhecido pelos frequentadores do bar, que muitas vezes vão lá só para ouvi-lo cantar, pois ele canta lindamente.

Será que um faxineiro ou uma empregada doméstica podem ser profissionais de sucesso? Se eles executam bem suas funções, gostam do que fazem, tem uma remuneração compatível com o mercado de trabalho, por que não?

O que você precisa para se sentir feliz?

Quantas histórias já ouvimos sobre grandes empresários, que largaram toda a vida corporativa para viverem de forma mais simples, ganhando muito menos, para se sentirem muito mais felizes.

Somos levados muitas e muitas vezes por esse pensar equivocado do sucesso. Almejamos a fama, o dinheiro e aquele falso sucesso. Lutamos por isso com “unhas e dentes”. E se atingimos nossas metas e #objetivos, não sendo por amor pelo que fazemos, continuamos insatisfeitos, buscando mais e mais metas a atingir.

É aquela velha história do "cachorro correndo atrás do próprio rabo".

Por outro lado, mesmo com toda esta luta, a fama e o dinheiro podem não chegar. Neste caso ficamos frustrados, inseguros e nos sentindo incapazes. Nas duas situações, a plenitude nunca chega, fica sempre um vazio.

Quem se ocupa com o trabalho bem feito, não tem tempo para se preocupar com o sucesso. Assim, ele é alcançado a cada obstáculo vencido, você se sente bem consigo mesmo e prazer no que produziu.

Hoje se fala muito em ter metas e objetivos claros e definidos para alcançar o sucesso e a felicidade. Tem que se saber o que quer, o que quer ser da vida, e “blá blá blá”. É isso mesmo? Então, passe uma boa parte de sua vida atrás disso, com muita determinação e foco (essa é a palavra do momento).

E enquanto isso, o tempo passa, e você está sempre em busca de novas metas e novos objetivos. E a vida vai passando... Resta saber se todo esse percurso para alcançar seus “louváveis” objetivos é prazeroso para você. Se esse caminho, é um caminho feliz. Se você está vivendo, trabalhando com prazer na maior parte do tempo, se divertindo, ajudando os outros, fazendo amigos para a vida e não apenas parceiros, contatos e networks.

Pense nisso, antes de seguir rigorosas metas a vida toda, pois, como diz o poeta Lulu Santos: “Nada do que se foi será de novo do jeito que já foi um dia”.