No livro Mentes Perigosas, a autora, a psiquiatra Ana Beatriz Barbosa Silva, parte da referência em estar consciente e ser consciente dos seus atos, como captar ou não o que está a nossa volta. Mas, quando se fala em ser consciente é uma questão emocional, de sensibilidade, e se procura o outro como um impulso que sempre levará a fazer coisas de forma de irracionalidade, pelo fato do ser humano “sentir”. E colocar o ser consciente como algo inerente às pessoas e até na maioria dos animais.

Nesse intuito, vamos ver um caso muito estranho que tem a ver com o que a autora do livro disse, o sentir faz o ser humano a atos que ninguém sabe nem o porquê e nem como acontecem.

Numa tarde tranquila no domingo [VIDEO] (13), quando se comemorou o Dia dos Pais, uma jovem postou em uma rede social uma homenagem singela para lembrar o dia de todos os pais. Anna Victoria Corrêa, de 18 anos, fez esse ato de carinho e ainda escreveu desejando um feliz Dia dos Pais e se referiu ao pai como “meu negão”.

O pai em questão é o agente penitenciário Ronaldo da Silva Corrêa, de 49 anos, e que já foi vereador da cidade entre 1997 a 2000. Segundo informações, ele atirou em sua esposa, Rosicleia da Silva, de 46 anos, e na jovem, sua filha, que minutos antes tinha feito a homenagem. Ainda após esse ato, atirou na própria cabeça à queima roupa e morreu à noite com os ferimentos causados. As duas vítimas morreram na hora.

Um menino de 5 anos, que era um outro filho do casal, teria visto todo o ato do pai e correu para pedir ajuda e foi socorrido pelos vizinhos.

Agora, o menino se encontra na casa de parentes até a Justiça determinar com quem o garoto deve ficar. O corpo do agente foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) da cidade de Barretos e os corpos da menina e da mãe, foram velados na própria Guaraci, nessa segunda-feira (14).

O crime teria chocado os moradores da cidade de, aproximadamente, 10 mil habitantes, que não sabem o intuito do crime. Uma das muitas vizinhas do casal disse que o agente era muito educado e não aparentava ser violento e sua esposa era muito brincalhona. Ela se disse chocada com o crime. Para a vizinhança, o crime não teria uma motivação aparente e não sabem o que teria acontecido. A polícia ainda está investigando o crime e não tem nenhuma pista do que teria motivado o agente a fazer tal ato, assim, segue seu trabalho.

Seja lá o que teria motivado o crime, o sentimento do ser humano é um universo que não se pode penetrar.