Há tempos ouvimos que os cães são os melhores #amigos dos homens, pois a #Confiança demostrada pelo cão, segundo o senso comum, é mais sincera que a demostrada pela #Humanidade.

Mas o que é a humanidade? Segundo algumas definições, é a reunião das características que são particulares ao ser humano. Mas o que acontece quando o humano busca mais o ter do que o ser? Talvez ainda não consigamos visualizar o resultado daquilo que temos nos transformado em detrimento daquilo que deixamos de ser.

Nos primórdios, rotulamos de selvagem os homens que matavam para comer e que retiravam do meio ambiente apenas o necessário para garantir a sobrevivência de sua família e da comunidade na qual estava inserido.

Hoje, celebramos os feitos de uma sociedade que se autointitula como sendo evoluída. Mas que evolução é essa? Será que o fato de conseguimos falar em questões de segundos com uma pessoa do outro lado do mundo, mas não conseguirmos falar com a pessoa do outro lado sala caracteriza realmente uma evolução?

Será que uma sociedade que tem como um de seus ditos populares “o cachorro é melhor amigo do homem” é uma sociedade evoluída e digna de confiança? Um estudo realizado em 2016 revelou que o cuidado com a alimentação e a saúde desses bichinhos movimenta cerca de R$ 17 bilhões por ano. Não sei você, mas particularmente desconfio de uma sociedade que compra comida, roupa e casa para esses bichinhos, mas não consegue engajar-se com o mesmo empenho e afinco para que pessoas também possam ter acesso a comida, roupa e moradia.

Sim, talvez você não saiba, mas há pessoas que não têm comida, roupa e moradia. Consideramos esses bichinhos como sendo “animais de estimação”, ou seja, animais dignos de receber afeto, carinho e cuidado. Até aí não haveria problema alguma se houvesse de nossa parte a mesma facilidade de cultivar estima por um outro animal, um que é semelhante a nós, o homem.

Contudo, talvez aí resida o problema, já não consideramos o homem com o nosso semelhante, pelo menos não qualquer homem. Se for um homem bem-sucedido [VIDEO], cheiroso e de agradável, talvez esse possa ser nosso semelhante. Caso não atenda esses ou outros requisitos por mim impostos, este deixar de ser meu semelhante e torna-se o outro [VIDEO].

Não quero aqui, de forma alguma, recriminar o cuidado que devemos ter para com os outros animais, eu mesmo possuo dois cachorros, um deles, inclusive, eu peguei porque estava abandonado. Ah! Mas quantas crianças abandonadas há por aí? Por que me é mais fácil adotar um cachorro do que uma criança? Afinal, pode ser que após anos de cuidado e investimento em meu pet ela possa a vir a ser a próxima presidente da República, até mesmo porque eu preciso ter garantia do meu investimento. Mas o que importa? Seja como for, o cachorro sempre será o melhor amigo do homem, enquanto o homem continuar sendo inimigo de si mesmo.