É fato que o modelo econômico em que vivemos permite a exploração de muitos trabalhadores. No entanto, as grandes jornadas de Trabalho e a exaustiva prática do mesmo não são características exclusivas do capitalismo. A excelência sempre exigiu tempo e repetição.

Sem suor e rigor não existiriam grandes cientistas, grandes artistas ou grandes atletas. Me pergunto, o que motiva as várias horas gastas por algumas pessoas em estudo e treinamento? Dois filmes me chamaram atenção por tocarem nesse assunto: Whiplash e Forrest Gump.

Os filmes

Whiplash trada de um jovem músico, Andrew, que sonha "ser um dos grandes". Ao entrar no melhor conservatório de música dos Estados Unidos, é recrutado pelo professor Terence Fletcher.

O mestre é extremamente exigente e Andrew, ao longo da trama, corresponde a altura, com imensa dedicação. O empenho e a entrega do garoto para alcançar seus objetivos mostra-nos uma das formas de si tornar um grande músico.

Forrest Gump é um rapaz que possui problemas cognitivos. O filme é narrado pelo próprio personagem, Forrest, e ele conta suas aventuras. Os episódios de sua vida são impressionantes, ele, quase sempre, vence. Ganha medalhas, bate recordes e inspira pessoas, no entanto, parece nuca ter tido objetivos bem programados e planejados. Aparentemente, Forrest simplesmente viveu da forma que achava correta e fez o que gostava, sem sonhos grandes e sem grandes expectativas.

Sucesso profissional

Vamos definir assim: uma pessoa que alcançou sucesso profissional é aquela que executa com excelência o seu trabalho e é reconhecida em seu capo de atuação.

Os melhores vídeos do dia

Isso posto, algumas alternativas de trajetórias nos são apresentadas.

A primeira, mais comum no facebook, é aquela que os livros de auto ajuda e os coachings nos dão: colocar a vida em uma planilha, estabelecer metas claras de curto, médio e longos prazos, além de influenciar pessoas! Nos orientam: preste atenção em tudo que as pessoas dizem, ou pelo menos finja, expresse confiança em sua fala, em sua postura e em suas atitudes, lembre-se, o importante é o que as pessoas vêem!

Dedicação e empenho

A segunda é um pouco indigesta, ela também exige metas claras e algumas planilhas, no entanto, sua principal característica é o suor prolongado. Valoriza um pouco menos a esperteza e o oportunismo, acredita na repetição e no desafio diário. Um curso de férias, um ano de intercâmbio ou uma graduação não são suficientes, para ela, a dedicação é durante uma vida inteira. Conquistar o objetivo é a motivação para sustentar o empenho constante e a grande expectativas.

A terceira é a mais estranha, ela acredita que as metas claras não possuem tanto valor, pois o desejo [VIDEO] não caberia em uma planilha.

Para ela, lidar sinceramente com o próprio desejo e fazer disso uma ética seria o caminho mais interessante. É difícil acreditar, por exemplo, que um grande músico dedique 14 horas diárias tocando seu instrumento, mas não queira, com isso, se tornar "um dos grandes". No entanto, mais difícil ainda é acreditar que quem dedica 14 horas diárias, no que quer que seja, faça isso sem uma satisfação relativamente suficiente em si mesma.

Por fim, acredito que esses filmes suscitam uma discussão a respeito do que é excelência e de qual o seu preço. Um estudante obsessivo e um sujeito com déficits cognitivos são bons personagens para tratar disso.