As redes sociais têm repercutido fortemente o assunto denominado "Cura gay", após o juiz federal Waldemar Cláudio de Carvalho autorizar psicólogos a realizarem tratamento terapêuticos em pessoas declaradas homossexuais, o assunto tem gerado indignação em milhares de usuários das redes sociais, provocando repúdio a atitude tomada pelo representante da lei. Além do assunto envolvendo o juiz federal, um projeto sobre o assunto tramita na Câmara do Deputados e pode se tornar lei.

Entenda o projeto de lei 4931/16

O projeto de lei 4931 de 2016 foi criado pelo deputado federal e pastor evangélico Ezequiel Teixeira, do PTN do Rio de Janeiro.

O projeto de lei abordado pelo representante parlamentar visa garantir perante a lei que profissionais de saúde mental não sofram sanções em caso de aplicação de conhecimentos científicos para tratamento de: "paciente diagnosticado com os transtornos psicológicos da orientação sexual egodistônica, transtorno da maturação sexual, transtorno do relacionamento sexual e transtorno do desenvolvimento sexual". O deputado federal também justifica que existem pessoas em profundo "sofrimento psíquico", e, devido ao fato de sofrerem desses "transtornos", buscam auxílio terapêutico. Entretanto, encontram dificuldades para acessarem esses "dispositivos terapêuticos". Contudo, segundo proposta do parlamentar, esses tratamentos terapêuticos só serão aplicados nas pessoas que concordarem com os métodos terapêuticos.

Duas emendas apresentadas ao PL 4931/16

O deputado Jean Wyllys defensor da causa LGBT na Câmara do Deputados, enviou uma emenda substitutiva pedindo alteração substancial do texto redigido pelo deputado Ezequiel Teixeira. Para Jean Wyllys os profissionais de saúde psíquica precisam atuar segundo os princípios éticos da profissão e, ainda que os profissionais devem contribuir na reflexão sobre preconceito, a fim de contribuir com o desaparecimento de discriminações em razão da orientação sexual e a identidade de gênero.

Na emenda publicada pela deputada Erika Kokay do PT do Distrito Federal, a parlamentar também mostrou posicionamento contrário às ideias apresentadas pelo deputado Ezequiel Teixeira. A deputada justifica que o autor do projeto de lei contribui para reforçar um entendimento equivocado de que homossexualidades se constituíram em patologias.

A polêmica repercute nos meios de comunicação

Esse tema tem gerado muita polêmica nos meios de comunicação, visto que vinculam a homossexualidade a um transtorno psíquico da pessoa.

Todavia, a grande maioria das pessoas têm se posicionado na internet contra a proposta do deputado federal do Rio de Janeiro.

O assunto também tem sido repercutido entre as pessoas de influência na mídia brasileira. Recentemente a atriz Bruna Linzmeyer fez uma publicação ironizando a "Cura Gay": "Hoje acordei meio lésbica, será que dá pra ir trabalhar? Fernanda Gentil e Carol Duarte me indicam alguma pílula ou máscara verde?", publicou a atriz.

Além da atriz Bruna Linzmeyer, outros personagens influentes na mídia como o ator Paulo Gustavo, a apresentadora Fernanda Gentil, e as cantoras Preta Gil e Anitta demonstraram seus posicionamentos contrários ao tema.