A vida, para nós brasileiros, não tem sido fácil. Com todas as denúncias de corrupção e o cenário geral da política, está ficando cada vez mais difícil se orgulhar de ser brasileiro.

Mas em comparação [VIDEO] com alguns lugares do globo, podemos dizer que nossa situação poderia ser muito pior, como, por exemplo, a situação em que se encontra a #Coreia do Norte.

Coreia do Norte x Estados Unidos

Liderada pelo déspota, Kim Jong-un, a Coreia Do Norte é assolada pela fome, pela miséria e pelas mãos de ferro de seu governante, que, através da censura dos meios de comunicação e de toneladas de propagandas governamentais obrigatórias, tenta fazer uma lavagem cerebral em seu povo, o forçando a acreditar que lá é o melhor lugar para se viver e que todas as decisões de seu “grande líder” são as mais sábias que já foram tomadas.

Uma das “sábias decisões” de Kim Jong-un é investir bilhões em um programa nuclear, enquanto sua população morre de fome nas ruas. Eles convencem a população de que estas armas de destruição em massa são sua única forma de se defender contra o maior inimigo do país, os #Estados Unidos.

Esta noção ilusória de que não há saída para a Coreia do Norte senão se armar até os dentes foi por muito tempo alimentada apenas pela loucura de Kim Jong-un e por suas falsas propagandas. Porém, nessa sexta-feira (22), o líder norte-coreano teve uma ajudinha de um outro homem, que, assim como ele, é um louco infantil que detém mais poder do que é capaz de controlar. É ninguém menos que seu maior inimigo, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que na Assembleia Geral Das Nações Unidas (ONU) fez a seguinte escolha de palavras: "Os Estados Unidos têm grande força e paciência, mas se for forçado a se defender ou a seus aliados, não teremos escolha senão destruir totalmente a Coreia do Norte".

Trump não está mentindo. Em teoria, o poderio militar dos Estados Unidos poderia sem muito esforço apagar a Coreia do Norte da face da Terra. Afinal de contas, o país inteiro tem a metade do tamanho do estado de São Paulo. Mas a grande questão é que um cenário [VIDEO] desses não deveria jamais passar do âmbito da teoria.

Estamos falando de destruir uma nação inteira, culpados e inocentes teriam o mesmo trágico destino. Sendo assim, devemos evitar sequer incitar esta possibilidade, principalmente quando você é o presidente de uma das maiores nações do mundo.

Ainda mais em um ambiente de tamanha seriedade como a Assembleia Geral das Nações Unidas. O que Trump e Kim Jong-un têm que entender é que eles não são duas crianças se ameaçando com gravetos, mas líderes com acesso a armamentos que, se colocados em ação, trarão dor e sofrimento para o mundo inteiro.

A Coreia do Norte precisa de uma intervenção pacífica, e Trump precisa aprender a medir suas palavras. Porém, até que isso aconteça, estaremos à mercê de mais uma guerra de proporções nucleares. #Guerra nuclear