Desde os primórdios até os dias atuais, o tempo sempre foi uma grande incógnita para a humanidade, que vem debatendo a sua existência e principalmente a sua aceleração.

Parece que foi ontem o Natal, as últimas férias de verão, o Carnaval e quando você vai ver o ano já acabou, o Natal chegou e tudo começará outra vez.

Será que o tempo está acelerando?

Será que precisamos rever a medição do tempo? Os povos antigos do período paleolítico tinham o hábito de medir o tempo de acordo com eventos naturais repetitivos, como o movimento da Lua em relação à Terra e do nosso planeta em relação ao Sol (embora aqueles povos acreditavam que a Terra era o centro do universo e que tudo girava ao nosso redor).

Todo o planejamento agrícola da época era baseado nos eventos astronômicos que trazia mais segurança e sucesso para aqueles homens do campo.

Mas desde a criação dos primeiros relógios de água a 1.300 aC até os modernos relógios atômicos criados no século XX, a passagem do tempo sempre foi uma incógnita para o ser humano. Para muitos, o tempo simplesmente não existe, para outros é apenas uma sensação psíquica.

Para Albert Einstein, o tempo passa mais devagar para objetos que se deslocam em altas velocidades, ou seja, o tempo se dilata como ele mesmo propôs no paradoxo dos gêmeos.

Seja pela teoria da relatividade ou por experiência pessoal, o fato é que a sensação que o tempo está voando é real e provavelmente é causada pelo aumento das atividades do dia a dia, trabalho, estudo, casa, família, hora extra...

Os melhores vídeos do dia

A sociedade valorizou e incentivou, durante muito tempo, viver a mil por hora, cercados de mil e uma tarefas e que dar um momento de pausa diária para uma meditação possa parecer coisa de desocupado. Esse comportamento é demonstrado no filme Tempos Modernos, onde Charles Chaplin vive um personagem da linha de produção de uma indústria em uma rotina para lá de estressante.

Essa aceleração no dia a dia dá a sensação de que o tempo está acelerado e que o mundo está a mil por hora, gerando muitos problemas, como o estresse. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o estresse atinge 90% da população mundial, prejudicando a saúde e produtividade.

Assim muitas empresas, governo e profissionais de saúde estão percebendo a importância de desacelerar o tempo dentro de nós mesmos e assim trazer uma melhor qualidade de vida. Ioga, meditação entre outras práticas são necessárias, conforme o Ministério da Saúde.

Assim dá ‘tempo’ de você parar, desacelerar e refletir antes que o Papai Noel chegue outra vez.