Após pressão do Movimento Brasil Livre (MBL), o Santander Cultural, espaço dedicado a mostras e exposições de Arte na cidade de Porto Alegre (RS) decidiu fechar a exposição ''Queermuseu''.

O objetivo central das obras, segundo o curador Gaudêncio Fidelis, era tratar questões de gênero, sexualidade e diversidade.

Para o MBL porém, bem como para vários outros grupos, sobretudo grupos de direita, as obras continham desrespeito a crenças religiosas, além de incitação à pedofilia e à zoofilia. Aberta na metade de agosto, a mostra ficaria em exibição até 8 de outubro, e foi encerrada no dia 10 de setembro.

A administração do Santander Cultural [VIDEO] divulgou uma nota pedindo desculpas para aqueles que se sentiram ofendidos pela mostra e declarou que o desrespeito à crenças e símbolos não está de acordo com a visão de mundo da empresa e nem do espaço destinado às exposições.

Mas toda a polêmica gerada pelos protestos do MBL contra o ''Queermuseu'' parece ter dado ainda mais visibilidade à exposição. Graças à artista Cibele Vieira, que participava da mostra, diversas obras censuradas acabaram expostas na cidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos.

No último sábado(23), diversas obras da exposição foram projetadas nas fachadas do New Museum, do Bushwick Museum e do Whitney Museum of American Art, num evento chamado de ''NY Loves Queermuseu''.

Frases como ''Brazil, the world is watching'' (''Brasil, o mundo está assistindo'', em português), ''Resista, não tenha medo!'', ''Brasil, mostra tua cara'' e ''Ditadura nunca mais'', também foram projetadas nas fachadas dos museus nova iorquinos. Nas ruas, panfletos eram distribuídos paras os transeuntes, explicando a história das obras e o modo como elas haviam sido censuradas ao serem exibidas pelo Santander Cultural.

Os melhores vídeos do dia

Um ato semelhante chegou a ser realizado na Rua da Consolação, em São Paulo.

A iniciativa foi resultado de um financiamento coletivo envolvendo norte-americanos e brasileiros.

E para desgosto do MBL, o ''efeito rebote'' da pressão para o cancelamento da mostra ''Queermuseu'' [VIDEO]não para por aí. Na semana passada, o jornal O Globo publicou a informação de que a exposição deverá ser exibida no Rio de Janeiro. A informação já foi confirmada por Evandro Salles, diretor do Museu de Arte do Rio (MAR). Ainda não há uma data para a estreia da mostra no Rio de Janeiro.

O protesto contra a censura das obras na cidade de Nova Iorque vai até o próximo domingo (01).