A Revolução Industrial e o capitalismo fizeram a realidade no mundo mudar, onde aqueles que são mais ricos e empreendedores fazem produtos que os mais pobres compram. Logicamente, existe a desigualdade, mas a absoluta pobreza, hoje, está com uma porcentagem mais baixa.

Alguns economistas possuem certa revolta contra os ricos, onde pretendem induzir que os de classe alta paguem mais impostos para que distribuam uma parte de sua riqueza. Seria mais prudente esta revolta ser direcionada para todos aqueles cuja riqueza foi conquistada contra o capitalismo, mas não, generalizaram o alvo para todos eles, independente da forma que geraram seu dinheiro, como trabalhando e se esforçando, ou roubando.

Com isso, não percebem, de fato, que muitos dos que hoje são bilionários foram fabricantes de produtos e utilidades que desempenharam uma alta melhora dos padrões de vida e condições de trabalho, onde smartphones, computadores e televisões ficaram acessíveis a todos, independentemente de ser pobre ou não.

Dos dez homens mais bem-sucedidos do mundo, alguns possuem sua fortuna ligada à tecnologia. Por suas criações e inovações, que nos surpreendem cada vez mais. Fazendo que, com isso, seu capital aumentasse significativamente em relação ao resto da população.

Será que isso nos deixa mais pobres?

Há mais de uma década fez-se um estudo que mostram que "apenas uma pequena fração dos retornos derivados dos avanços tecnológicos entre 1948 e 2001 foi capturada pelos produtores, o que indica que a maior parte desses benefícios foi transferida aos consumidores".

William Nordhaus estudou e calculou que os criadores obtinham apenas 2,2% do valor total de suas invenções. Hoje vemos diariamente os avanços da comunicação. Nas empresas e com pessoas comuns, quanto o custo de um computador de antigamente que era de cerca de R$ 30 mil, que eram caros e ruins, e hoje em dia eles custam cerca de R$ 2mil, com baixo custo. Uma redução e um avanço significativo para pessoas que podem empreender mesmo tendo pouco para investir.

Pense nos maiores empreendedores da história, eles se tornaram extremamente ricos por revolucionarem e por transformarem certas coisas, que até então eram luxo, em bens acessíveis a todos. Graças a essa globalização, seus inventos se espalharam para todo o mundo, tendo com isso uma desigualdade de riqueza sobre nós.

Mas ao contrário de que muitos acham, não foi maléfica, e, sim, representou uma redução de estilo de vida entre classes sociais. Concluímos que, de certa forma, é boa para todos nós, pois quanto mais inovações e novas tecnologias, mais nosso padrão de vida aumenta, a diferença não será tanta, pois, sempre teremos inovações que eles produzirão.