As cotas raciais são discussões que sempre trazem uma polêmica [VIDEO] a mais para o desenvolvimento de políticas públicas. Muitos ainda são contrários a essa lei, e digo mais, tem muitos afrodescendentes que compactuam com essa ideologia de ser contra essa lei, inclusive, movimentos que nomeiam serem “livres” e “escravizam” um afrodescendente e se colocam como porta voz, opinando contra essa lei.

As cotas raciais são uma iniciativa para tentar retribuir a esse povo tudo o que eles passaram para nós. Sabemos que no âmbito popular existe uma mística que diz que essa lei é uma tentativa cultural de nomear os afrodescendentes como pessoas incapazes de competir com os nãos afrodescendentes.

Essa tentativa não passa de um diálogo que deseja apenas distribuir discórdia no meio da sociedade brasileira. O Brasil hoje é o segundo país com mais afrodescendente no mundo, atrás apenas da Nigéria, e mesmo assim os alunos(as) afrodescendentes são minorias nas universidades.

Mesmo existindo essa barreira, o programa de cotas que, aliás, não é somente para afrodescendentes, mas nesse caso específico, estamos dando ênfase para esse assunto, mostra umas das poucas iniciativas de políticas públicas que causaram grande notoriedade dentro da nossa nação.

Mas com essa lei contribui para os que desfrutam dessas cotas?

É engraçado até de falar, mas, como várias pessoas do nosso país começaram a se preocupar com os negros? Antes de ser aprovada a lei sobre cotas, poucas classes políticas davam ênfase para os direitos das cotas.

Os melhores vídeos do dia

Mas, quando surgiram indícios desse diálogo, vários começaram o opinar e mostrar a sua indignação fazendo-se de preocupado para que os negros não começassem a adquirir complexo de inferioridade em saber que estão em uma disputa “injusta” com os demais. Algo inadmissível.

Então, sim, a lei sobre cotas contribui e muito para o desenvolvimento da nossa nação e também para o agradecimento a essas pessoas que contribuíram para o nosso país. Muitos afrodescendentes começaram a interagir e querer participar de opinião pública, coisas que não faziam anteriormente por acharem que ali não era os seu lugar.

Portanto, sou sim a favor das cotas raciais. Sou a favor de um país que inicie um processo de agradecimento por tudo que essa etnia fez e por tudo o que ela ainda vai fazer para o nosso país. Não consigo e jamais conseguirei entender os brasileiros(as) que não conseguem ver a evolução que o nosso país teve com essa iniciativa política.