Um olhar para as raízes

Os povos indígenas foram os primeiros a habitar a extensão de Terra que compreende, hoje, o território nacional. Ou seja, são os ancestrais mais antigos que o povo brasileiro pode ter. No entanto, os índios têm lutado de várias maneiras - através de manifestações, processo jurídicos, divulgação de propagandas nas redes sociais, dentre outros - para garantir a posse legal de pequenas zonas de terra que lhes é de direito.

Além de ter a grande parte de ter sua população dizimada e sua cultura reprimida, algumas populações indígenas vivem com o dilema de poderem perder as terras que habitam a qualquer momento para construção de obras, sejam elas de cunho público ou privado.

Não é incomum ver índios fazendo manifestações nas estradas do país ou encontrar com algum de seus representantes (geralmente caciques) discutindo os interesses das populações indígenas frente ao Congresso Nacional.

Os índios se sentem menosprezados com o tratamento a que são submetidos no Brasil. Eles não são tratados com respeito e nem são reconhecidos como patrimônio cultural da nação. O brasileiro esquece que o sangue indígena corre em suas veias e que a vida está permeada de traços herdados dessa cultura ancestral.

O Capitalismo e sua influência

O sistema capitalista tem grande influência na vida de todo e qualquer ser e para os povos indígenas isso fica ainda mais evidente. Isso acontece devido ao fato do capitalismo ter ideologias contrárias à forma de ser da cultura indígena.

Para os índios, a terra é considerada uma 'mãe'.

Os melhores vídeos do dia

Não se pode explorar, vender ou trocar esse bem comum, que para eles, parece ser uma espécie de divindade. Já o Capitalismo busca a produção massiva dos recursos naturais e minerais, tendo como principal objetivo o lucro.

Esse fato explica o motivo pelo qual os índios são tão desvalorizados. A sociedade capitalista não tem nenhum interesse em respeitar e exaltar os povos indígenas, pois eles não representam forma alguma de obtenção de lucro. Para a conjuntura capitalista, valores étnicos e culturais não valem muita coisa, mas sim, o valor da conta bancária dos indivíduos em questão.

Para aqueles que defendem o sistema capitalista, as manifestações indígenas, em verdade, representam uma ameaça à reprodução ideológica dos interesses de uma sociedade baseada no capital. Não é de interesse dos capitalistas que as pessoas se preocupem com a forma como os indígenas enxergam o mundo. Ou seja, estar de acordo com os ideais indígenas implica em uma ruptura com a forma de consumo desenfreada pregada pelo capitalismo.

Depois de algumas reflexões fica mais fácil entender alguns aspectos da sociedade e seu funcionamento. Entender a sociedade é fundamental para mudá-la. Se você é uma dessas pessoas que está insatisfeita com o que vê e escuta por aí sobre a questão indígena, comece a mudança por você, e assim, poderá mudar o mundo.