Dói, eu sei. Talvez você pense que não pode machucar mais do que eu acho que sinto, mas eu imaginei. Levanta, rapaz, você vai saber que eu superei, mas quando a raiva te tomar não pegue nosso passado com a mesma raiva que eu amassei.

Eu sempre me virei. Eu sempre acreditei que um final feliz entre nós dois ia acontecer, mas não deu. Alguma pista morreu. Uma dúvida nasceu e dela surgiram filhos que me fizeram perceber que não existia mais você e nem eu.

Eu te culpei. Escandalizei. Juntei todas as nossas fotos... Rasguei. Mas eu sei que errei. Eu não teria feito a metade, teria guardado a raiva para mais tarde, pois eu sei que ela ia derreter e uma parte dos motivos para me aborrecer eu ia esquecer.

Só que é difícil, não é? Esse ego que a gente tem que vencer. Dói e é duro a gente perceber, mas é preciso para a gente crescer. E só hoje eu percebi o quanto eu magoei você. Mesmo que indiretamente, outras tantas vezes sem querer. Quase nunca sem perceber, só que agora não há muito que só possa fazer, mas deixa eu te dizer:

Não vou mentir. Eu quis. Sim. Só para ver o quanto você ainda importava para mim. Te atingir só era esfregar a dor dentro de mim na frente de um espelho para refletir. Desculpas? Eu nem sei se pedi, mas isso é tudo que pode sair da minha boca. Não posso, nem quero mais fugir. Só que eu passei um tempo tentando reunir toda essa coragem e eu decidi que eu definitivamente preciso te deixar ir. Parece simples assim, mas eu peço que confie em mim.

Eu desejo que você seja feliz.

Que se formos maduros o suficiente a gente possa sentar e conversar e aí você me diz... O que mudou. Se o nosso passado duro você curou. O que é que nesse coração se transformou. Vou te contar sobre minhas coisas também e quem sabe a gente volte a ficar de bem, mas por enquanto o que eu posso desejar é que você se recupere tão fortemente quanto ninguém. Pode ser que nessa época já tenha me aparecido alguém para tentar tapar o vazio de nós dois. É engraçado, mas todo mundo acha que é capaz de substituir um passado tão machucado, mas eles nunca percebem o quanto isso é errado. É... Eles nunca veem.

Eu prossigo, não questiono, apenas sinto. Tem dias que é um pouco mais difícil, mas eu sei que uma hora isso tudo acaba e eu jogo todas essas mágoas no lixo e vou fingir que nem me importo com isso. Mas, enfim... Não posso mentir se... O meu coração você ainda tem, pois foi a única parte de mim que não quis fazer de refém quando bati a porta do orgulho ontem.