Infelizmente, o racismo ainda é algo muito presente em nossa sociedade. Embora nem sempre de forma explícita, este tipo de discriminação muitas vezes já está tão enraizada em nossa cultura que pode passar despercebida em atitudes aparentemente inofensivas [VIDEO].

Portanto, confira abaixo algumas Atitudes que carregam consigo uma pesada carga de discriminação racial:

1 - Encarar alguém na rua insistentemente

Pare para pensar no porquê de a presença de uma pessoa negra ainda chamar tanto a atenção. Isso é um indicativo de que talvez faltem negros ao redor, correto? Em entrevista ao portal de notícias UOL, a doutoranda Cinthia Leone, de 33 anos, conta que detesta ser encarada em parar.

Uma vez, em um restaurante, Cinthia conta que foi encarada por uma senhora do início ao fim de seu jantar.

Embora sutil, encarar uma pessoa negra também é uma forma de ''estranhar'' a presença dela naquele ambiente, o que, é claro, é um atitude racista.

2 - Utilizar o termo ‘cor de pele’ para apenas uma cor específica

Imagine que seu filho lhe pede para passar a ele o lápis ''cor de pele''. Que cor você pegaria? O problema com a expressão ''cor de pele'' para se referir a coisas em um tom bege ou ligeiramente rosado, é que nem todas as peles do mundo se assemelham com estas cores.

Também em entrevista à UOL, Nathália Barbosa, de 24 anos, conta que foi a farmácia comprar um curativo. Ao pedir o curativo no tom ''cor de pele'', foi informada que o produto só estava disponível nas cores branca e marrom. Nathália conta que estendeu o braço para o vendedor e disse que provavelmente a cor marrom lhe serviria como tom de pele.

3 - Chamar carinhosamente de ‘minha nega’

Mesmo entre amigos, o chamamento pode não ser legal. Para a publicitária Muriel Cristina, de 24 anos, o apelido pode parecer algo carinhoso, mas a verdade é que, para ela, que é negra, as expressões ''minha pretinha'' ou ''minha nega'' soam estranhas, como se forçassem uma empatia inexistente.

4 - Tocar o cabelo

Tocar ou pedir para tocar o cabelo de uma pessoa negra para ver se ''não espeta'' ou se é macio, também é uma forma implícita de racismo. ''Ninguém faz isso com quem tem cabelo liso, né?'', indaga a professora de inglês Marli Rosa, de 55 anos. Ficar dando opinião no cabelo afro também não é legal.

Nada de ficar perguntando por que a pessoa não alisa os cabelos ou porque não faz trança. O cúmulo da discriminação racial relativa aos cabelos pode ocorrer em entrevistas de emprego. A publicitária Camila Prado, de 30 anos, conta que, certa vez, em uma entrevista de emprego, foi questionada se poderia fazer escova nos cabelos caso fosse admitida no emprego.

5 - Ficar com medo de assalto

Se você segura sua bolsa com firmeza ou passa a caminhar mais rápido quando avista uma pessoa negra próxima a você na rua, saiba que está tendo um atitude racista. A atriz Mariana França conta que já foi seguida por uma vendedora no interior de uma loja, enquanto escolhia um vestido para sua formatura.

A atriz conta que em dado momento cansou-se daquilo e perguntou à vendedora o porquê de ela estar sendo vigiada de perto. A vendedora respondeu apenas que foi orientada pela gerência da loja a fazer aquilo.

6 - Tratar negras como ‘exóticas’

Mais da metade da população de nosso país é negra. Os números oficiais apontam para um total de 55% o total de negros no Brasil. Então, porque ainda tem gente que insiste em tratar os negros como exóticos. Frases como ''sua cor de pele é tão diferente'' contribuem para a exotização dos negros, segundo a doutoranda Cinthia Leone.

7 - Deduzir que a pessoa é simples ou pobre

A professora de inglês Marli Rosa conta que já foi confundida com a faxineira quando foi dar aulas em um condomínio. O porteiro perguntou a Marli se ela estava com a chave e a professora ficou sem entender. Quando o funcionário repetiu a pergunta, Marli respondeu ''não sou a faxineira, sou a professora.''

Ela conta ainda que morou durante muitos anos em um condomínio de classe alta e que, frequentemente, era confundida com uma serviçal, caso não estivesse vestindo roupas de ''madame''.

8 - Achar a pessoa arrogante apenas porque ela não é subserviente

Marli Rosa conta ainda que, por ser negra e bem resolvida, as pessoas frequentemente a rotulam como antipática, mesmo que ela não faça nada para merecer tal rótulo, apenas porque ela não se coloca na condição de serviçal.

Um caso semelhante aconteceu recentemente com um participante do MasterChef Brasil, da Band. o cozinheiro amador Leonardo Santos [VIDEO] fez um desabafo em suas redes sociais após ser alvo de racismo e acrescentou que aquilo que nos competidores brancos é visto como autoconfiança, em um negro vira logo rótulo de prepotência.