A educação em escolas é um consenso? No Brasil, todas as crianças devem ingressar em escolas e ter formação em diversos e diferentes conteúdos previamente definidos por órgão público competente, o MEC (Ministério da Educação).

Isto é uma realidade abrangente no país, mas seus propósitos, métodos e resultados não são propostos como autoanálise para as principais pessoas envolvidas, que são os estudantes. Na história da humanidade, 99,99% desta não dispôs de instituição previamente determinada para exercer o repasse de conhecimentos. Isto era feito em família, em comunidade.

No Brasil, a criação e o funcionamento de instituições especializadas para a transferência de conhecimento é fato recente, pois em sua história de pouco mais de 500 anos (ainda na infância), somente em meados do século passado passou a ter a educação formal uma capilarização visando atingir a maior parte das crianças e adolescentes, dos maiores aos menores núcleos de habitação.

Dentro de uma #Escola, a formação é, principalmente, técnica, e visa, com a conclusão dos módulos de estudo propostos por tempo e conteúdo (básico, fundamental, médio), levar os alunos a ingressarem em uma faculdade e em uma empresa privada/pública, e assim, aspirarem condições favoráveis (financeiras) para se suster na vida adulta.

Mas, onde está o caráter humanístico em todo esse percurso acadêmico? Por que ainda, em diversas partes do planeta, ainda se tem a educação formal feita em casa, e se tendo melhores resultados se comparado ao processo executado no interior das instituições educacionais?

Isto acontece devido à pessoa (criança, adolescente) sentir que a educação formal é um advento familiar, e não um acontecimento à parte disto, em que se deve feito por uma imposição social.

A vivência de alunos e alunas dentro das escolas, mesmo voltada para um fim prático (das práticas, rotinas necessárias do dia a dia), não é associada com a realidade.

Grande parte dos conteúdos escolares não é absorvida, assimilada, retida para a imediata e posterior realização destes por aqueles.

A criança, e depois o adolescente, quer saber o motivo e a necessidade de ir e permanecer frequentando a escola por cerca de 15 anos de sua vida, e as respostas devem fazer sentido existencial aos que as almejam. Consegue-se aprender a ler e a escrever em casa.

Após isto, posso buscar e conseguir todo e qualquer tipo de conhecimento, via oral, via escrita, via visual, via reflexivamente. Então, devo ir à escola apenas para obter o diploma que pode ser um facilitador na obtenção de emprego e renda para conquistas puramente materiais? #ENEM