A cada ano somos forjados a acreditar nisso ou naquilo. Há uma dinâmica constante de valores na sociedade e nós estamos atentos a essa dinâmica valorativa. Conforme afirma Niestche, avaliamos constantemente.

O que hoje pode ser louvado e permitido, amanhã, pode ser superado e até mesmo proibido. A sociedade é complexa e dinâmica. É guiada por líderes, organizações e fatores reais de poder.

Os costumes deixam de existir. Mudam-se os hábitos e a sociedade se refaz. Em se tratando de convívio social, leciona o sociólogo Bauman que a sociedade é liquida. Para Bauman, as relações são cada vez mais frágeis e distantes.

Há um debate constante em torno de grandes temas que interessam a sociedade.

Um deles, o que é crime e o que não é crime, o que é ilícito civil e o que não é. Todavia, uma conclusão se pode extrair em termos de política. O poder político não é tão célere quanto a dinâmica social.

Enquanto a sociedade está à frente das questões como se sobressaem nos jornais, de outro lado, o poder político (Legislativo, Executivo e Judiciário) está aquém desta grande dinâmica social. Veja o caso de grande omissões legislativas, inúmeras pendências judiciais de décadas, leis velhas e ultrapassadas, projetos executivos inacabados).

O objeto deste artigo é relatar tais ocorrências e também, além disso, ressaltar a importância dos princípios e valores para o homem de poder na sociedade.

A dinâmica social não pode enveredar líderes políticos, sociais e agentes de transformação social para caminhos espúrios e cujo declínio dos princípios tornam "líquidos" os deveres para com a pátria.

Inobstante haver tamanhas ocorrências discrepantes no cenário nacional, tais como a corrupção, não deveria (no campo do dever ser) o líder que é tido como exemplo enveredar-se por estes caminhos porque está num meio onde a práxis é contrária ao valor.

É um limbo muito difícil de lecionar hoje no nosso país. Um situação que não se tem o real método pedagógico. Não há substância. Não há instrumentos e meios. Tudo o que nos forja hoje no Brasil é a experiência da vida, nossas leituras, nossas reflexões.

Atualmente não há filosofia suficiente como a grega. A academia grega compelia os discípulos a pensarem o que são as coisas, como são as coisas, porque são assim. É a reflexão filosófica.

Hoje rege a máxima da mediocridade e dá repetição. É o que ensina Vigostki: nós repetimos o que está ao nosso redor. É uma análise comportamental muito bem aceita pela comunidade científica. Porém, precisamos estar cientes de que todo ato humano que emane do poder político precisa ser refletido sobre a égide da atitude filosófica.

Sim, precisamos ter atitude filosófica diante de uma situação que nos advém. A sociedade é dinâmica sim, mas isso não quer dizer, infelizmente, que ela sempre vai ser encaminhada para o bom, para o justo. Aí é que reside a necessidade de analisar, ponderar, refletir. O que é isso, porque é assim, como é assim.

Um líder que se preze, que deseja construir um bom projeto para os humanos, naturalmente, deve ter em mente, em primeiro lugar, a reflexão filosófica para não repetir o que é mal e espúrio, que cause supressão de dignidade, que retire saúde, educação dos cidadãos, que destrua o meio ambiente ou que especule a destruição de valores como as liberdade fundamentais do homem (mulher) e do cidadão.

Ética e alteridade é justamente a busca pelo dever ser. Sabemos que não é tarefa fácil, ainda mais quando não há um padrão de comportamento que nos possa dar acerto e justiça a nossos atos, mas há um instrumento muito antigo que nos pode ajudar. É a atitude filosófica.

A atitude filosófica nos permite indagar e buscar uma resposta subjetiva para as grandes questões do mundo. Os líderes políticos que beberem da atitude filosófica ouvirão o clamor do povo, os reclamos, ouvirão as instituições, ouvirão os fatores reais de poder, ouvirão também sua consciência, ouvirão várias fontes (livros, sábios, mídia) e refletirão um tempo antes de dar um aval sobre um postura que possa ser exemplo para sociedade, sobre uma postura que efetivamente tenha como vortex a justiça, a razoabilidade, a proporcionalidade, a transformação para melhor, a melhoria contínua, a busca da perfeição técnica, do contrário, sem reflexão e atitude filosófica, teremos repetições inadequadas, comportamentos hostis, crueldades, opressões, supressão de dignidade, corrupção de toda monta, e o pior de tudo a tirania (aquela que decorre da consciência do líder).