Um vídeo que está circulando na internet desde a manhã desta segunda-feira (13) tem causado alvoroço nas redes sociais e provocado bastante indignação na população brasileira, que já se encontra exausta de acompanhar tanta impunidade no país. O vídeo em questão mostra o ex-ministro da Casa Civil (2003 a 2005 durante o Governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva) José Dirceu dançando descontraidamente em uma festa de aniversário, em Brasília.

As cenas inusitadas despertaram mais uma vez a sensação de revolta do povo brasileiro. Isso se justifica, pois José Dirceu já foi condenado por diversos crimes relacionados à Corrupção, entre eles o recebimento de mais de R$ 4 milhões como propina no esquema chamado Mensalão.

O ex-ministro petista foi filmado por um dos convidados que estavam presentes no evento que aconteceu no sábado (11) e parecia não se importar nem um pouco com sua tornozeleira eletrônica. O uso do equipamento foi determinado pelo juiz federal da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba, Sergio Moro, em maio deste ano como medida cautelar [VIDEO] para ele poder deixar a prisão. Entre outras medidas, José Dirceu também teve que entregar o passaporte e não pode deixar o país.

Bem à vontade entre os amigos, de camisa de manga longa solta por cima da calça, José Dirceu curtia o festejo sambando divertidamente junto a sua esposa, que escolheu um vestidinho preto para comemorar o aniversário e também dançava animadamente, coladinha ao parceiro. José Dirceu, que possui um extenso currículo político - foi militante estudantil na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), já sofreu prisão e exílio políticos, foi eleito deputado federal e estadual, além de ter ocupado o cargo de ministro-chefe da Casa Civil.

Ele parecia não notar que estava sendo filmado e, aos 71 anos de idade, mostrava a quem quisesse ver que ainda possui muita disposição.

Na trilha sonora do evento, o popular samba de arerê, que é muito famoso na interpretação do grupo de pagode carioca Revelação com a voz do cantor Xande de Pilares. Mas o pagodeiro não foi convidado, não. Entre os convidados haviam pessoas do meio político, como o também petista João Paulo Cunha.

Ao som dos versos "Você que nunca sambou/Se liga, tem que sambar/Vem ver, o meu povo cantar!/Vem ver, o meu samba é assim", o ex-ministro condenado na Operação Lava Jato sambava na cara da sociedade, literalmente.