É ridículo ficar com esse tipo de sensação, mas é o que eu sinto às vezes quando você está longe de mim. Não necessariamente só longe fisicamente, mas longe na mente. Eu gostaria de estar mais com você, mas sabe aquele estágio onde você não tem muito que fazer, pois se você se aproximar, que ideia maluca essa tal pessoa vai pensar ou, então, vai achar que eu vou querer? Apenas te sufocar? Não, eu prefiro ficar aqui mesmo. Na minha imensidão.

Eu prefiro ficar nesse lugar que muitas outras pessoas também escolhem ficar para elas não terem que se magoar com uma intenção que só é pura, mas que nesse mundo louco de hoje só pode assustar.

É só gostar, mano. Mas ainda assim as pessoas continuam se afastando.

Eu gostaria de saber qual foi a parte na nossa vida onde começamos a ser ensinados que ficar longe é sinônimo de estar perto? Essa coisa de fingir desinteresse, gente... Eu [VIDEO] gostaria de ter mais sangue frio para poder passar por esse estágio com mais vontade, mas eu não curto. Todo esse teatro em fazer o papel de pessoa mais distante da relação, eu cuspo. Não engulo.

Certa vez eu ouvi em um filme ou algo assim que a pessoa que está mais desapegada na relação é aquela que tem mais poder dentro dela. É, eu concordo, mas no fim das contas, ainda que a parte mais apegada esteja para ser machucada, ela vai terminar achando alguém que a queira tão bem quanto ela esperou que você quisesse, enquanto a outra pessoa não apegada (você) vai terminar da forma os outros da sua espécie terminam: sozinhas.

Eu prefiro viver mil feridas no amor do que saber que não me dei o trabalho de ver se eu correspondia, se eu arriscava e vivia. Eu prefiro essa adrenalina do que ser a pessoa insensível e fria.

Que me perdoem os novos poetas de hoje, mas eu quero sim ser minha e sou, mas eu também quero ser de alguém, não com o objetivo de pertencer, mas de dividir a jornada, mostrar coisas novas e viver dignamente, como gente decente que veio aqui não para apenas brincar, mas aproveitar tudo o que o mundo nos dá. Visão romântica?

Eu acredito nisso também, mas alguém precisa ser, pois hoje os românticos estão escassos. A maioria quer se perder nas suas pequenas fugas de sonhos que ficaram de acontecer, mas nem chegaram ao primeiro pontapé. E como se isso fosse motivo suficiente, as pessoas deixam de viver. Não. Eu não quero me tornar uma delas. Eu nasci para a alegria e ela será feita mesmo nos momentos que eu quase me esquecer que ela existe ainda.