O meio-campista Diego chegou com status de craque depois de atuar 12 anos no futebol europeu. O meia era um desejo da diretoria rubro-negra, que tentou a sua contratação algumas vezes nos últimos anos.

Diego assinou com o #Flamengo por três anos. A euforia tomou conta da nação rubro-negra na sua chegada: aeroporto lotado e rapidamente o meia conquistou o coração da maior torcida do Brasil. Diego estava no Fenerbahce (TUR) e conseguiu a liberação do clube turco para acertar com o Flamengo.

Com 31 anos, formado na base do Santos, profissionalizou-se pelo Peixe em 2002, quando tinha apenas 17 anos, e dividiu o protagonismo da conquista do Campeonato Brasileiro daquele ano com Robinho.

Ficou no Peixe até 2004, quando foi transferido em agosto para o Porto (POR).

O sonho de ter o meia no time se realizou. Mas, nem tudo é alegria. O ano de 2017 foi abaixo das expectativas para o Flamengo. O time possui um dos elencos mais caros do país, mas efetivamente em campo não correspondeu e a torcida se decepcionou com a temporada proporcionada pela equipe.

O clube começou a temporada erguendo o seu 34º título carioca, conquistado diante do Fluminense. Depois, uma série de vexames tomou conta: começou com a eliminação na fase grupos da Taça Libertadores; perdeu a final da Copa do Brasil para o Cruzeiro; ficou apenas na 6ª posição do Campeonato Brasileiro e, nesta quarta-feira (13), ficou no empate em 1 a 1 com o Independiente (ARG) e mais uma vez ficou no “cheirinho”, brincadeira [VIDEO] que se tornou viral entre torcedores flamenguistas.

Os adversários entraram na onda e as piadas com o “cheirinho” sempre tomam conta das redes sociais a cada vexame do Flamengo.

A primeira partida o Flamengo perdeu por 2 a 1. O jogo foi disputado em Buenos Aires, na Argentina, e o clube carioca precisava de uma vitória simples para tentar conquistar mais um título internacional.

Mas, na quarta-feira, time carioca proporcionou mais uma decepção para sua torcida. O clima era perfeito para o Flamengo: Maracanã lotado por mais de 62 mil torcedores.

O jovem Paquetá abriu o placar, mas o empate veio ainda na etapa inicial, com um gol de pênalti. No segundo tempo, o Flamengo continuou lutando. Porém, o Independiente estava organizado e a partida terminou empatada. O resultado não foi suficiente e o título ficou com o Independiente, a conquista da #Sul-americana foi o 17º título internacional da equipe.

A torcida não suportou mais uma humilhação e proferiu nas redes sociais críticas duras ao time todo, mas em especial ao meio-campista Diego Ribas.

Os torcedores do Flamengo não gostaram do futebol apresentado por ele na temporada, principalmente em momentos decisivos como foi nesta quarta-feira.

A hashtag “tira o Diego” ficou entre as mais comentadas no Twitter na quarta-feira (13). Outros torcedores chamaram o jogador de “pipoqueiro”, citando atuações bem abaixo do esperado, como no pênalti perdido contra o Palmeiras no Campeonato Brasileiro, o gol perdido contra o Corinthians também no Brasileiro e citou o pênalti perdido na final da Copa do Brasil. Fábio pegou o pênalti.

O meia agora vive uma relação de amor e ódio com a torcida e a única explicação que pode ser dada será em campo. 2018 [VIDEO] promete...