Os tradutores iniciantes certamente enfrentarão muitos desafios na carreira, especialmente na hora de angariar novos trabalhos e conquistar a confiança de novos clientes. É muito difícil conseguir o primeiro trabalho tendo apenas a graduação e fluência na língua alvo. As empresas solicitantes ou aquelas que ofertam trabalhos na área, na maioria das vezes, vão exigir um teste de tradução para averiguar a capacidade intelectual e ver se o perfil e conhecimentos do candidato a #Tradutor se adequam ao que o cliente deseja.

Muitas vezes existirão clientes honestos e também existirão os "espertos", que costumam realizar neste mercado uma má pratica o chamado "teste #Calote" descrito abaixo, assim a dica de hoje neste artigo serve como um alerta aos tradutores iniciantes.

Após muito trabalho de pesquisa e muito esforço o candidato a tradutor consegue o primeiro contato e agora? Como proceder quando o tradutor iniciante recebe aquela proposta de trabalho tão esperada, mas o cliente exige um teste de tradução, diz que é pouca coisa a ser traduzida e depois ele descobre que o arquivo que a empresa contratante enviou tem mais de 15 páginas para traduzir como teste?

Como garantir que o cliente não vai pegar esse texto teste de 15 páginas que o tradutor iniciante traduziu com suor e lágrimas almejando obter o primeiro trabalho, não vai usá-lo "grátis" e depois vai "esquecer" e nunca mais vai entrar em contato ou nem enviar um feedback informando se aceitaram ou não o teste? Simples, aqui vão algumas dicas preciosas para minimizar o risco de cair nesta armadilha:

- Dica 1: A empresa e cliente sério e honesto nunca envia tantas páginas como teste.

Por isso, deve-se ficar de olhos bem abertos na hora de iniciar estes testes para clientes e indicações as quais não se conhece;

- Dica2: Conversar com o cliente e perguntar se existe a possibilidade do tradutor mesmo escolher algum artigo ou notícia de algum web site conhecido por ambos para o teste. Questionar o fato de ser um teste de 15 páginas e não de uma página ou no máximo três, estabelecer uma comunicação franca e aberta com o cliente, demonstrando interesse e vontade de mostrar a ele a capacidade de traduzir qualquer tipo de texto com qualidade e rapidez que ele deseja. Porém, desde que possam escolhê-lo juntos, enaltecer as suas qualidades e vencer e ganhar o trabalho pelo seu poder de convencimento e não pelo cansaço;

- Dica 3: Informar ao cliente que ele mesmo poderá também escolher o artigo e/ou notícia a ser traduzido, mas que deve ser retirado de um web site conhecido por ambos e de renome e não um material dado pelo cliente. Argumentar que 15 páginas de teste é muita coisa e levará muito tempo para a realização e talvez, se ele escolher um artigo fora da área comercial dele e com no máximo uma página, será possível realizá-lo rapidamente e com mais qualidade.

- Dica 4: Lembrar-se de que o material para teste não precisa necessariamente ser enviado pelo cliente e ser no tema que ele precisa. Neste caso, se estiver em um web site de noticias de renome (CNN, Fox, SportTV, Telegraph, NYTimes etc.) e que ambos conheçam já ajuda o tradutor iniciante a não cair em armadilhas e a não levar o calote. O cliente já fica esperto sabendo que o tradutor, embora iniciante, é profissional e sério e não será fácil de enganar desta forma.

Além disso, se o cliente insistir nas 15 páginas e não arredar o pé, o tradutor iniciante já sabe que pode ser uma armadilha e que o cliente não pode ser sério, pois faz muita diferença traduzir uma página ao invés de 15. Além disso, uma página já mostrará a ele a capacidade de tradução do tradutor, pois até duas páginas ou três no máximo também já poderão mostrar isso. Por que, então, ter tanto trabalho com 15 páginas?

Estas são dicas simples de cuidados que se deve ter no início de carreira de tradutor e que ninguém ensina, pois se aprende com os próprios erros. Elas por si só não vão garantir 100% que o tradutor novato passará no teste e ganhará a vaga, mas, se ele segui-las, poderá evitar dor de cabeça futura, pois elas informam os iniciantes que este tipo de má prática existe e deve ser combatido com inteligência e tato. Vamos dizer "não ao calote"! #teste primeiro emprego