A humanidade está caminhando rumo a um futuro tecnológico repleto de 'miragens e realidades virtuais' e quando se depara com o mundo real físico, desperta-se do fictício.

A tecnologia tem proporcionado mudanças significativas no contexto social da humanidade e isso tem sido notório nos dias atuais. No entanto, se por um lado ela traz vantagens e benefícios, por outro há inúmeras desvantagens e malefícios a saúde.

Os aparelhos eletrônicos (tablets, celulares, notebooks) estão sendo prejudiciais à saúde

É feito o uso da 'internet' como um passatempo há anos, mas agora como um ciclo vicioso e de longa duração, estar em contato com o brilho das telas o tempo todo pode levar à perda da visão a longo prazo.

Há relatos de que pessoas sentiram cegueira e fortes dores de cabeça ao ficar um dia inteiro em frente a tela de um smartphone. Na China, por exemplo uma mulher perdeu parcialmente a visão do olho direito após jogar por 24 horas o game 'Honor of Kings', um jogo virtual viciante. Ao ir ao médico, ele detectou uma oclusão da artéria da retina, decorrente ao uso excessivo do aparelho.

Em um vídeo como esse vem um alerta!

Tome cuidado com o uso em excesso das tecnologias.

Desvantagens e problemas ocasionados pela dependência do uso

O que até pouco tempo era um simples hábito tornou-se doença e é chamada de Nomofobia

  • Nomofobia é o medo de se sentir sem 'mobilidade', ou seja; a maioria das pessoas não consegue se desprender do uso tecnológico tornando-se refém de seus efeitos. No entanto, esse hábito, que para muitos acabou se tornando um vício, pode trazer consequências terríveis.
  • Os aparelhos ficam ligados 24 horas inclusive enquanto na hora de dormir, e, aí está o perigo. No meio disso, o aparelho precisa de recarga, logo as pessoas vão dormir e por mero hábito conectam seus celulares ao carregador, em sua maioria, grande parte da população não tem conhecimento do quão grave pode ser deixar o aparelho em cima da cama carregando, ou até mesmo em mãos. Vale ressaltar: aparelhos como esse devem ser portados perto do corpo desligados, por causa da alta temperatura que eles podem alcançar, caso contrario eles são capazes de explodir e causar além de queimaduras de terceiro grau e morte, o alastramento do fogo pela casa.
  • O vício e a mania de tê-lo sempre por perto leva a inconsequentes atos, como este caso em que resultou na morte de uma adolescente no Vietnã. A fatalidade ocorreu com diversas pessoas no mundo [VIDEO], por um fio desencapado colado com fita, ou em outros casos pelo superaquecimento do aparelho, algumas pessoas tiveram rostos, costas e partes do corpo queimados e deformados. No caso dessa jovem, a tragédia veio a atingi-la enquanto ela estava dormindo, o que não lhe permitiu uma reação. Foi constatado que ela havia sido eletrocutada. Um artigo recentemente publicado que conta o acontecido ainda diz "levaram a adolescente a unidade de saúde para socorrê-la, mas os médicos, mesmo com todos os esforços e recursos disponíveis, não conseguiram fazê-la recobrar a consciência, de modo que avisaram a família sobre sua morte por eletrocussão". leia mais [VIDEO]...
  • Na hora de tomar o banho, levar o smartphone é um risco ainda maior, outros casos ocorreram, agora com uma residente no estado norte-americano do Texas, Estados Unidos. Madison Coe, de 14 anos, que foi eletrocutada no banheiro quando encostou em seu celular que estava conectado na tomada, esse é mais um dos muitos casos que se encontra em repercussão em sites de notícias na internet.
  • No trânsito o perigo é visível, a pessoa perde o controle e a visão do que faz, tanto pedestres sofrendo acidentes por estar distraídos, quanto motoristas têm causado acidentes pelo mesmo uso.
  • Os óculos de realidade virtual tem distraído as pessoas como uma venda nos olhos incapazes de ver o perigo em lugares aparentes, isso vem sendo usado de forma obsessiva e inadequada, apesar de ser algo legal.
  • O mal uso da #Tecnologia e a falta de limites de alguns usuários, que frequentemente costumam passar longas horas online tem tido suas consequências.
  • A tecnologia trouxe conforto e com ela veio de brinde o sedentarismo, grandes índices de obesidade nos países desenvolvidos, e com essa comodidade toda as pessoas estão ficando cada vez mais sedentárias e acomodadas.
  • Em uma entrevista recente, oftalmologistas britânicos advertiram a respeito da exposição prolongada a claridade desses aparelhos, que pode vir a causar degeneração macular, e problemas sérios aumentando os riscos de danos aos olhos afetando a retina. “Essa luz tem uma foto toxicidade que deve ser considerada”, diz Márcia Beatriz, diretora da Sociedade de Oftalmologia Pediátrica da Latino América. Diz mais: “O efeito é cumulativo, ou seja, não vai acontecer nada no mês seguinte, mas sim ao longo dos anos.”.
  • “É a combinação de não piscar o suficiente e colocar o dispositivo a uma distância menor do que normalmente colocaria outros objetos, Isso força a vista.” complementa Hepworth.
  • Devido às longas horas de uso e pela diminuição do ritmo das piscadas, os problemas podem se manifestar.
  • Estatísticas dessa mesma pesquisa e matéria apontam que 43% das pessoas com menos de 25 anos sentem irritação, ou ansiedade, e até mesmo entram em crise quando não podem checar seu telefone celular no momento que querem, ficam instáveis quando não há sinal ou wi-fi.
  • O uso excessivo desses aparelhos tem aumentado a incidência de problemas de visão. Pois, as pessoas costumam olhar para esses dispositivos bem mais perto do que para outros objetos, e acumular pelo menos 7 horas diárias de estresse nos olhos.
  • À medida em que se acessa a internet ou se tem um aparelho [VIDEO], uma tecnologia na mão, isso dá uma sensação de privacidade, não se consegue ter uma dimensão clara da propagação que aquela informação pode gerar, as pessoas se sentem a vontade para expressar opiniões que não ousariam dizer pessoalmente, gerando fofoca e confronto e perdendo círculos de amizades. Em alguns casos, casamentos de anos são desfeitos através de bate-papos, alguns confiam tanto que se frustram vendo suas fotos vazadas, as 'famosas nudes'. As conversas privadas são expostas em público, viraliza-se fotos e conversas, de repente alguém afetado se suicida por pensar que a melhor solução para fugir da vergonha social, da humilhação, do caos e do convívio com os que sabem do caso e fazem bullying com ele, é a morte.

Infelizmente, os adolescentes de hoje estão tão viciados e dependentes do celular que não largam o aparelho para nada, e nem sempre fazem bom uso, criam uma relação de causa e efeito: se não se sente bem, vai para o celular, criando um tipo de dependência emocional.

Atualmente as crianças têm trocado brinquedos por eletrônicos, amigos reais por jogos virtuais. Passou-se o tempo das calçadas e gargalhadas, pular corda e jogar dominó, amarelinha e escravos-de-jó, agora o olhar se encontra e foca fixo em apenas uma coisa, o mundo virtual. As crianças e jovens tem perdido muito no quesito viver bem e com qualidade como eram os tempos antigos. Foram perdidos valores, costumes e agregaram coisas em seus lugares. Essa troca de coisas físicas por virtuais ocasiona problemas e prejuízos à saúde física e psíquica de uma criança, causando danos irreversíveis onde sua comunicação, aprendizado e visão possam ser comprometidos ao longo do tempo. Além da dificuldade de se relacionar em sociedade, a criança pode desenvolver medo, não se postar diante de desafios do dia a dia por estar acostumada a viver fora do mundo real com seus amiguinhos virtuais. Não ofereça entretenimento aos pequenos para contê-los, não alimente a influência digital sobre as crianças de hoje, elas se espelham nos adultos e serão o futuro de amanhã.

Saiba quais são os sintomas de dependência

  • Medo
  • Ansiedade
  • Estresse e ataques de pânico ao pensar em sair sem celular.

Os sintomas podem levar a outros efeitos colaterais, como tremores, sudorese, tontura, dificuldade em respirar, náuseas, dor no peito, aceleração da frequência cardíaca.

Tudo sobre Nomofobia, como detectar o problema em sua origem e trata-lo na sua raiz!

O ser humano tende muito em breve entrar em colapso, consequente a noites mal dormidas por se privar do sono e se encontrar 'online', até mesmo nas madrugadas, isto pode acarretar malefícios à saúde tais, como:

  • Insônia, aumentando assim a frequência cardíaca e a respiração,
  • A falta de foco, chamada de perda de concentração,
  • O organismo acaba ficando em alerta quando deveria, na verdade, descansar e esse desgaste afeta o humor e gera irritação.

Pessoas tem perdido a noção do tempo e das horas, em que dia está, como foi o dia anterior e queixam-se de insônia, esquecimento na memória, além de sentir que os seus dias não foram produtivos pelo fato de não dormirem as horas suficientes.

Se a forma como usa a tecnologia te faz negligenciar as coisas mais importantes — incluindo família e outras responsabilidades — então está na hora de fazer algumas mudanças, uma desintoxicação digital seria bem-vinda. Aprender a estabelecer limites e cumpri-los, mas há quem sinta sintomas de abstinência quando separados de seus xodós eletrônicos. Para isso muitos contam com apoio de clínicas de tratamento de dependência.

Esses são relatos de quem já passou por isso

A maior parte dos jovens e muitos dos adultos de hoje e até mesmo crianças tem tido uma vida desregrada e não saudável, passando noites inteiras conectados, não tendo conhecimento de que isso pode suscitar uma série de fatores resultantes ao uso inadequado dessa poderosa ferramenta. O conhecimento tecnológico digital avançou e os jovens se adequaram a esse novo estilo de vida, contudo, regrediram por não serem estimulados a pensar e tem se contentado com respostas prontas, as famosas 'cópias brilhantes' que o Google disponibiliza sem muito esforço, e nessa mudança trocaram os livros por celulares. Tendo sido deixado de lado os princípios importantes como métodos de ensino, se esse ciclo se repetir e com certeza ele vai, onde a informação só é repetida e não entendida, então não desenvolverão capacidades opinativas suficientes e não se questionarão a cerca do futuro que virá, apenas aceitarão as consequências, irão só existir e se esquecerão o que é viver de fato.

O ser humano tem tido dificuldade de saber equilibrar o tempo de uso de aparelhos eletrônicos. Estão todos desconectados da realidade e iludidos com tal avanço da tecnologia, o que no futuro pode ser o pior inimigo a toda forma de vida e já tem sido.

São notórias essas inversões, a presença física tem sido substituída por aparelhos, lojas físicas agora estão perdendo para as virtuais, cartões de crédito agora vão ser descartados, pois, os chips implantados já estão às portas, aplicativos estão substituindo equipamentos antigos, pessoas estão sendo desmerecidas, em seus trabalhos, perdendo emprego, as máquinas ocuparam seu lugar, será que o mundo será robotizado nas gerações futuras?

É preciso analisar: A tecnologia está aproximando quem está longe e infelizmente afastando quem está perto, o diálogo entre família tem sido afetado muitas das vezes. O mundo todo se curva e olha cada vez mais para baixo do que para cima, o sentido da humanidade tem seu foco no chão, a função do ser humano é investir tempo naquilo que mina sua fonte de energia? Há um propósito maior? Às vezes tem a impressão de que o tempo está passando rápido demais? Que as coisas estão acontecendo e você nem sequer está notando? Talvez, essa geração os tenham feito escravos daquilo que pode dominar o futuro da nação. Quem sabe, esse seja o momento de olhar menos para o celular e mais para o que nos cerca como família, amigos e lugares. Parar alguns instantes do dia para olhar a volta, e lembrar o que é ser livre, recuse-se a saber o que todos sabem e talvez você descubra que melhor do que máquinas podem fazer é o que você pode realizar. #Desintoxicaçãodigital #Futurotecnológico