4

A Educação no Brasil é precária e o ensino de História é algo valioso para entender os motivos que geram a falta de interesse em investir na educação. A disciplina de História e Sociologia nos anos entre 1964 a 1985 (ditadura militar) foram banidas do currículo escolar. Você pode supor os motivos?

Elas tem como objetivo estudar as ações e relações humanas, a organização e funcionalidade dos setores sociais num determinado tempo e espaço, ou seja, tirar essas disciplinas asseguraria ao Estado [VIDEO]ser o único detentor dos "saberes", de modo que, alienaria a população brasileira.

Para entender um pouco de política: Imagine o padre ou bispo lendo a Bíblia em latim e dando uma interpretação, totalmente, diferente para tirar proveito dos fiéis - Leia A reforma protestante [VIDEO].

Não havendo raciocínio lógico e senso crítico, por parte da população, sobre as várias vertentes sociais, certamente, que o governo pode agir da forma que quiser, inclusive corrompendo o sistema. Enquanto, toda a sociedade ficaria a margem dos reais interesses por trás dos acontecimentos.

A partir de 1986 as disciplinas de história e sociologia retornaram para as salas de aulas e a sociedade começou a perceber que tanto a sociologia como a história é de fundamental importância para elevar o nível de análise e criticidade sobre o Estado e o governo brasileiro. Para Silva e Fonseca a valorização da cultura escolar é a fonte primária para aquisição de conhecimento.

O conhecimento contribui para que se pratique uma ação frente, por exemplo, ao desrespeito que os brasileiros estão sofrendo diante de tanta corrupção praticada por empresas e políticos.

É importante ressaltar que a história deve estar inserida de forma processual e contínua, desde a primeira infância, pois assim será entendida como uma disciplina importante para o amadurecimento do indivíduo. Entendendo o passado ocorrerá a compreensão do presente e haverá previsão cautelosa do futuro.

O grande desafio das disciplinas é o uso da tecnologia [VIDEO] em sala de aula. É preciso atentar-se a essa questão para que as aulas se tornem mais atrativas para as crianças e jovens. Portanto, é preciso entender as "novas necessidades e possibilidades de conhecimento, sem perder a vista o que se conquistou na área ao longo das últimas décadas".

Com o tradicionalismo das aulas de história o desenvolvimento da cidadania se torna ultrapassado e completamente fora de eixo para o alunado. A história vive um momento urgente e desafiador, inserir aulas diferenciadas e atrativas por meio do uso de tecnologias em geral, desde o celular (muito questionado na sala de aula) até sala de informática e vídeo é importante para enriquecer o conhecimento dessa nova geração.

A lei de diretrizes e bases (1988) garante a todos o direito de receber educação e participar das decisões sociais exercitando sua cidadania no seio da humanidade. Contudo, o mau investimento em educação só nos mostra que o Estado brasileiro quer continuar mantendo uma sociedade alienada aos desmandos ocorridos nos últimos tempos. De 65 países pesquisados o Brasil ocupa o 53º lugar em educação, segundo a PISA. Em 2009 a pontuação da educação no Brasil, segundo o IDEB foi 4,6.

“Se a sociedade não acreditar na educação, tão pouco a educação sozinha poderá fazer alguma coisa”. (Paulo Freire).