Muitas polêmicas rondam a internet, mas a última é o site Catraca Livre que postou um vídeo fazendo uma alusão de quais fantasias podem ofender. O site Catraca Livre é muito conhecido por conter matérias polêmicas como comidas de fezes e reportagens de cunho da esquerda, dando espaço para esse tipo de conteúdo. Como se era de esperar, os internautas não perdoam e criticam o site por alimentar esse tipo de conteúdo que, segundo eles, incentiva as pessoas a não se preocuparem com um bom conteúdo e uma boa cultura. Ainda segundo os internautas, essa reportagem impõe o que você deve ou não usar.

O youtuber Arthur do Val, do canal Mamaefalei, é conhecido por fazer vídeos que ficam no meio das manifestações petistas, é agredido e ainda faz duras críticas a esse tipo de manifestação.

Como é de costume, Arthur gravou um vídeo criticando a atitude do Catraca Livre em querer impor algumas fantasias para não ofender as pessoas. Ele começa o vídeo contando que em 1993 ele se esqueceu que era um dia antes do Carnaval e que era a única pessoa que tinha ido de uniforme para a escola. Então, do Val continua dizendo que a mãe voltou para casa com ele, pegou uma bermuda velha e um colar e vestiu o Arthur de Olodum.

Val disse que quando chegou na escola foi triste porque muitas crianças iam de fantasias compradas, e ele ia com a fantasia caseira de Olodum, e então ficou meio preocupado. Porém, Arthur fez maior sucesso e ainda passaram pó xadrez nele para ficar mais escuro.

O youtuber então diz para se imaginar esse tipo de coisa nos dias de hoje, onde, como ele mesmo disse muitas vezes, se é patrulhado pelos politicamente corretos? Iriam dizer, segundo do Val, que se estava usando um estereótipo que todos já conhecem.

Arthur do Val ainda faz duras críticas ao criador do site, o escritor Gilberto Dimenstein, por compartilhar o que o youtuber chamou de “porcaria”. Ele começa a crítica pontuando a cada fantasia que o Catraca Livre [VIDEO] pontuou como fantasias para não ofender as “minorias” que são estereotipadas. Fazendo ironia, Arthur diz que o site falou que não se deve fantasiar de índio por conter um estereótipo já enraizado na sociedade, porém, existem várias culturas indígenas. Mas, segundo do Val, quando descobriram corrupção na FUNAI, ninguém disse nada.

Arthur depois disse que os homens não podem se fantasiar de mulher, porque senão esses homens estarão desrespeitando todas as mulheres, por estereotipar suas características das pessoas transexuais. Ele faz alusão à onda de transexuais no esporte dizendo que quando um homem se veste de mulher e bate nelas ninguém diz nada. Ou, segundo ele, quando um homem se cadastra na liga feminina de vôlei e supera todas elas, se você disser alguma coisa, você estará demonstrando um preconceito contra as transexuais que querem fazer esporte.

Arthur [VIDEO]disse ainda que há um grande conflito entre pessoas de esquerda, porque os muçulmanos não são grande exemplo de como se tratar uma mulher adequadamente. Porém, segundo o youtuber, se você fizer críticas a um mulçumano, receberá duras adjetivações só porque disse tal crítica. E se você se fantasiar de um muçulmano ou se vestir de “homem bomba”, será duramente criticado e ainda terá a imagem de um indivíduo preconceituoso.

Do Val diz que até de cigano não se pode vestir a fantasia. Arthur argumenta que as pessoas de esquerda são contra e até criticam a ditadura militar por causa da censura, a repressão aos artistas e tudo mais: porém, segundo ele, o cidadão não pode se vestir de cigano nesse carnaval.

Vejam o vídeo: