É comum falar abertamente sobre assuntos que até pouco tempo eram escondidos pela sociedade como erotismo, sexualidade e virgindade. Porém, com a #Tecnologia cada vez mais avançada, esses temas se popularizaram para o bem e para o mal de cada pessoa.

A música, o assédio sexual e os chamados serial killers são os assuntos relacionados a sexo mais pertinentes na sociedade. No entanto, os ensinamentos que os pais dão atualmente não passam a credibilidade necessária para que os filhos tenham uma considerada mente aberta e decida se aquilo que ouvem serve de base para o que vão querer futuramente.

A tecnologia e o tempo de exposição na internet

Não se vê filhos com o mesmo respeito com os pais e vice-versa, culpando seus intermináveis trabalhos por não darem o que precisam, para que a internet não faça o papel de babá.

A tecnologia está nas mãos da maioria dos jovens. Entretanto, muitos utilizam de forma errada, para que os chamados desvios sexuais venham a ocorrer com maior frequência em todo mundo. É fato que os famosos tabus ainda são um dos grandes problemas que ainda pais de família não conseguem sentar para conversar com naturalidade sobre o assunto.

Nem todos têm a mesma liberdade para poderem explicar com naturalidade o que é sexo, qual é o objetivo e várias outras dúvidas que tendem a surgir com a evolução dos jovens.

Sexo não é o problema, nem tampouco o erotismo

Atualmente, o sexo é trabalhado nas casas (ou nem isso) como quem troca de roupa, variando a ética e a conduta de cada família. Porém, nas ruas, na música e em qualquer lugar em que se passa, algo já remete ao erotismo ou mensagens subliminares de duplo sentido.

Por isso, falar de sexo virou uma coisa mais natural, mas não da maneira que deveria ser ensinada.

O avanço das questões LGBTs ainda remete as situações nada convincentes no atual momento em que a sociedade generaliza. Ainda há muito preconceito contra todos os gêneros. Os LGBTs só serão aceitos na sociedade a partir de uma reeducação sexual, orientando que há espaço para todos.

O sexo [VIDEO] é relativo, mas vai de cada um se acredita estar na hora de fazer o ato ou não. A partir desses assuntos que poderiam ser desvendado, um bocado de problemas poderiam ser resolvidos, como o assédio sexual, a posse do outro e ser realizado por vontade própria, pois muitos são incentivados por amigos, familiares ou terceiros com mais naturalidade na sociedade. A conversa sincera ainda é o melhor caminho para tratar desses assunto. #porno #LGBT