Filmes com roteiros envolvendo questões LGBT estão ganhando cada vez mais destaque no campo do Cinema popular, vide o clássico exemplo de Moonlight: Sob a Luz do Luar, vencedor do Oscar de Melhor Filme em 2017. E engana-se quem acha que a ascensão desses filmes deve-se puramente à temática: principalmente por tratarem de uma temática que ainda causa polêmica social e que ainda é alvo de preconceitos, para se destacar, o trabalho deve ser impecável e inovador em diversos panoramas. E é essa dedicação que vemos em 'Me Chame Pelo Seu Nome', cujo roteiro foi baseado na obra de mesmo nome, do autor André Aciman.

O filme, dirigido por Luca Gadagnino, passa-se em uma bucólica vila no norte da Itália dos anos 80, para onde o acadêmico norte-americano de 24 anos, Oliver, interpretado por Armie Hammer, viaja durante o verão, convidado pelo arqueólogo professor Perlman (Michael Stuhlbarg) para ajudá-lo em uma pesquisa.

Oliver é um personagem cativante e logo ganha a admiração dos familiares e colegas da família de Perlman, em especial de Elio (Timothée Chalamet), um adolescente de 17 anos, filho do professor.

A relação entre Elio e Oliver é trabalhada ao longo de todo o filme através de diálogos, olhares e interações com outros personagens - como, por exemplo, com Marzia (Esther Garrell), amiga com quem Elio tem um caso. A progressão ocorre de forma muito natural, permitindo ao espectador acompanhar todas as etapas do primeiro contato ao primeiro encontro amoroso entre eles, deixando um tom de rotina e verossimilhança ao mesmo tempo que deixa fluir todo o lirismo e a fantasia de um amor juvenil. O clima de uma relação inesperada e arriscada, cheia de descobertas, traz elementos de sensualidade que contrastam com uma certa inocência de Elio, no final de sua adolescência.

Inclusive, esse é um ponto de destaque do filme: o doce sabor da rotina de um amor de verão. Algo que contribui muito para isso é a trilha sonora do filme, delicada e plenamente adaptada aos diferentes contextos e momentos - 'Mystery of Love', de Sufjan Stevens, composta especialmente para o filme é uma obra-prima -, somada à atuação magnífica dos protagonistas - destaque especial para Timothée, que concorre ao Oscar de Melhor Ator [VIDEO] este ano, por sua interpretação como Elio.

Timothée consegue transmitir os pensamentos e sensações de Elio de forma tão intensa que logo nos vemos engajados em todo o seu conflito de emoções, de um adolescente vivendo seu primeiro amor - com outro homem - e todas as suas maravilhas, angústias e frustrações. Toda a cenografia e, mais uma vez, a trilha sonora nos transportam para a época do filme, além de discursos sobre política e história, de forma que temos uma completa imersão na esfera apaixonante que 'Me Chame Pelo Seu Nome' produz.

'Me Chame Pelo Seu Nome' está em cartaz nos cinemas brasileiros, recebeu uma série de indicações e premiações internacionais (incluindo três indicações ao Globo de Ouro [VIDEO]) e está indicado ao Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Ator (Timothée Chalamet) e Melhor Roteiro Adaptado (James Ivory).