Sempre com falas duras e firmes, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) vêm crescendo muito nas pesquisas de intenção de voto para o cargo de presidente da República. Ele expressa, por meio de seus discursos, opiniões que, em sua maioria, condizem com o pensamento geral da nação.

Seus projetos que possuem maior aceitação são, sem sombra de dúvida, a castração química para estupradores e pedófilos condenados, a redução da maioridade penal, maior investimento na Polícia Federal e ,com uma aceitação dividida entre a população, a tão debatida e necessária revogação do estatuto do desarmamento.

No caráter econômico, defende uma recuperação de mercado por empresas públicas, principalmente a Petrobras, para que, assim ,possa privatizá-las por um preço mais rentável. O grande problema é a demora que tal valorização possa ter, abrindo a possibilidade de a empresa se desvalorizar ainda mais durante o processo de espera, caracterizando a ideia como especulação financeira.

Também no setor econômico defende uma maior autonomia do Banco Central e a exploração do grafeno, que, por pesquisas, é indicado como um material revolucionário e uma revisão de contratos internacionais de importação e exportação, como a muito citada pelo mesmo, importação de bananas da Bolívia.

Consegue dividir opiniões também no setor moral, pois afirma que preza pela manutenção da família tradicional brasileira, que envolve pai, mãe e filhos, ou seja, casais heterossexuais. Travou uma batalha intensa contra o denominado por ele "kit gay", material que seria distribuído às crianças de ensino fundamental I que continha conteúdos de teor sexual, tanto hétero como homoafetivo.

Suas discussões envolvem também o corte de gastos com, por exemplo, a lei de incentivo à cultura, mais conhecida como Lei Rouanet, o fim de distribuição de verba para imprensa nacional e também o fim do incentivo e das negociações do governo federal com movimentos sociais como o MST (Movimento dos Sem-Teto) e o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra).

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Jair Bolsonaro

Bolsonaro foi envolvido em diversas polêmicas por seu comportamento impulsivo, como quando deu declarações de que, se o seu filho fosse homossexual, levaria uma surra para "aprender a ser homem". As constantes discussões com o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) também lhe rendeu alguns momentos polêmicos.

Bolsonaro entrou contra Jean no Conselho de Ética da Câmara Federal após o deputado cuspir nele. Em sua defesa, Wyllys afirmou que foi ofendido por Bolsonaro com insultos como "bichinha". A principal polêmica, no entanto, é a discussão entre Bolsonaro e a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), onde, após Maria afirmar que o deputado seria um estuprador, ele a chama de vagabunda e a empurra, atitude que lhe rendeu uma condenação no Conselho de ética da Câmara dos Deputados.

Bolsonaro recorre da condenação e, caso perca, poderá ficar fora das eleições à Presidência por passar a ser considerado ‘’ficha suja’’.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo