A febre amarela é a doença que está assustando a população devido ao risco de morte. Muitas regiões de cidades de todo o Brasil estão sendo consideradas focos da febre amarela. Perante essa grave crise: qual a função do Estado? A resposta é cuidar da saúde da população disponibilizando vacinas para todos. Entretanto, não é isso que o governo está conseguindo, pelo contrário, a incompetência em disponibilizar as vacinas é visível; fato comprovado pela escassez e, até mesmo, falta do medicamento. Além disso, para conseguir tomar a vacina contra febre amarela, as pessoas precisam ficar muitas horas na fila, passar madrugadas e correr o risco de perder o emprego.

Isso afasta a população, fazendo com que o povo opte por não tomar a vacina e continuar correndo o risco.

Traficantes com consciência social

Uma vez que o Estado não consegue cumprir suas obrigações, o crime organizado toma para si os deveres do governo. Por isso, muitas comunidades são reféns dos Traficantes, valendo a seguinte máxima: "ruim com eles, pior sem eles" É do conhecimento popular que os moradores das comunidades encobrem os criminosos. Fato explicado pela necessidade, pois o governo municipal, estadual e federal não oferecem as ajudas que os membros do crime organizado oferecem como: luz, internet, segurança, entre outros serviços que o Estado deveria ofertar, mas é demonstra total incapacidade. Portanto, infelizmente, é possível afirmar que os traficantes são imprescindíveis para algumas comunidades.

Afinal, eles têm consciência social.

Enfermeiras sequestradas para aplicar vacina de febre amarela

Perante a incompetência do governo do Rio de Janeiro, traficantes sequestraram Enfermeiras para aplicar vacinas de febre amarela na comunidade do Salgueiro. Os criminosos afirmaram que muitas pessoas que moram na comunidade do Salgueiro não conseguem descer o morro para recebem a vacina. As profissionais de enfermagem foram liberadas no mesmo dia.

Para piorar, o ex-ministro do governo Lula, comentou no twitter sobre o que aconteceu. Seu depoimento foi um tapa na cara da sociedade. Carlos Minc declarou que o traficante 2N, que orquestrou o sequestro das 2 funcionárias de um posto de saúde e o roubo das caixas com vacinas e seringas [VIDEO], era um facínora, mas deu um banho de organização no serviço público!!

É vergonhoso, deprimente e ridículo um antigo membro do governo admitir que uma ação de traficantes serve de exemplo para o serviço público de saúde. Qual sua opinião? Deixe seu comentário.