Quando nós ligamos o noticiário da TV ou abrimos os jornais, nos deparamos com um tipo de violência inaceitável, a doméstica. Cada vez mais crianças e mulheres estão sendo agredidas e/ou mortas por quem deveriam protegê-las: seus companheiros. A Lei Maria da Penha existe, mas as mulheres não denunciam por medo de seus companheiros se vingarem, pelo motivo da Justiça ser inoperante,

O machismo existente na nossa sociedade, não aceita a emancipação da mulher. Os números são assustadores e, mesmo com a tentativa de desconstruir e reeducar tentando acabar com a cultura machista existente, os índices de agressões a mulheres só faz crescer, segundo o Fórum Brasileiro de Segurança.

Ainda, segundo esses mesmos números, 22% das mulheres sofreram agressões verbais. Não bastando esse índice ser tão alto, algo em torno de 12 milhões de mulheres, 8% são abusadas sexualmente e 4% ameaçadas com algum tipo de arma, seja de fogo ou branca.

Caso recente aconteceu na cidade de Itatiba, São Paulo, onde um rapaz, inconformado com o fim de seu casamento, atirou nas duas filhas pequenas e atingiu com um tiro de raspão a ex-sogra , deixando a cidade em luto.

A violência doméstica não atinge somente as classes menos favorecidas, vemos também episódios de agressões em locais mais abastados.

Acredita-se que o ciúme, uso excessivo de álcool e drogas contribuem para deflagrar tais episódios .

Outra notícia que merece destaque foi a briga entre o casal Naldo Benny e a esposa Ellen Cardoso. Eles brigaram por ciúme, que, segundo Ellen Cardoso, cansada das agressões recorrentes e ameaça com arma de fogo, resolveu denunciá-lo. Separaram-se temporariamente, mas resolveram reatar. O motivo, segundo o casal, foi a saudades que a filha de 2 anos Maria Victoria, de 2 anos, sentia do pai.

Essa reconciliação geraram muitas críticas por parte de público e dos fãs do casal, que, segundo a imprensa especializada, não é a primeira vez que o casal briga .

Os relacionamentos interpessoais estão cada vez mais frágeis devido à insegurança e falta de diálogo entre os pares envolvidos . Ao investir em um relacionamento a dois, os envolvidos devem praticar a tolerância, aprender a ceder em vez de exigir cada vez mais, conversar mais, ouvir o outro, tentar conhecer um ao outro antes de assumir um relacionamento mais sério. Só então investir numa relação mais séria.

Caso veja uma situação de violência, ligue 180 (Disque Mulher ) ou 190 (Polícia Militar).

Mas lembre-se que somente a agredida pode prestar a queixa.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo