Esse pensamento dialoga com a teoria de Platão, filósofo grego da Antiguidade , que em sua concepção define como Sentimento essencialmente puro, desprovido de interesses e paixões, porque, segundo ele, estas são cegas e transitórias. O termo platônico foi utilizado em sua obra "O Banquete", onde ele pondera sobre as diferentes maneiras de explanar e exercitar o amor.

O significado contemporâneo desse termo descarta a relação com a definição de Platão, sendo entendido como um amor impossível, não correspondido, sem toque, sem aproximação.

Perfeito porque permeia apenas os anseios repletos de fantasias e idealizações.

Há pessoas que desenvolvem esse sentimento involuntariamente, pela sua maneira de ser. É comum o amor platônico entre os adolescentes, entre os jovens adultos quando pessoas tímidas e introvertidas, desprovidas de amor próprio, vivendo isoladas, sem coragem de se aproximarem de quem amam.

Esse sentimento costuma colocar a pessoa amada em um plano superior e inatingível, denotando insegurança e imaturidade emocional de quem o sente.

Muitas pessoas com problemas emocionais recorrem a esse tipo de sentimento por medo se se exporem e sofrerem, achando muito mais fácil conviverem com um sentimento idealizado do que encararem frustrações, desenganos e prejuízos causados por um amor real.

Esse sentimento é considerado nocivo, mesmo porque tudo gira em torno de algo surreal, quando a pessoa amada nem sabe que o outro existe. Quando a tal idealização começa transgredir os limites, convém buscar ajuda de um terapeuta.

Alguns sintomas de amor platônico

A invasão de pensamentos obsessivos, a tudo que vê ou lembra a pessoa, isto é, a impossibilidade remete o pensamento em recorrência, a uma forma de resistência, transformando-se em uma perturbadora obsessão. Algumas pessoas que têm tendência a esse tipo de sentimento costumam enfatizar um valor maior ao impossível, acarretando sofrimento para elas.

Conhecendo a pessoa, jamais tenta a aproximação por medo decepcionar, ou ser decepcionado.

Não conseguindo aproximação, esse sentimento tende a desaparecer tão rápido quanto surgiu.

Há pessoas do meio artístico, jogadores de futebol e outros áreas que despertam o amor platônico entre os adolescentes, jovens e adultos de todas as idades. Essas pessoas idealizam seus ídolos como absolutos e inatingíveis, atribuindo-lhes um sentimento de adoração obsessiva.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo