Frequentemente, é possível ver nas redes sociais pessoas que consideram a luta pelos direitos das mulheres um mero papo furado ou até vitimismo. No entanto, poucas coisas são capazes de provar que o machismo ainda está presente em nossa sociedade do que as postagens destas mesmas pessoas nas redes sociais.

Em pleno Dia Internacional da Mulher, a médica Roberta postou uma mensagem a respeito desta data em seu twitter.

A citação da escritora Sally Kempton, traduzida por Roberta, dizia que quando os homens imaginavam uma ''revolução'' das mulheres, eles imaginavam as mulheres governando-os da mesma maneira que atualmente as mulheres são governadas pelos homens e que, por essa razão, tinham tanto medo da ''revolta'' feminina.

Muito embora o conteúdo da mensagem de Roberta não contivesse nada pessoal ou ofensivo, o executivo Milton Vavassori Junior achou-se no direito de dar uma resposta a Roberta.

A resposta dele, no entanto, ao contrário da postagem original da médica, não foi nada educada.

''Saudades do tempo em que mulher dava a b*c*ta e não opinião'', escreveu ele.

Não foi somente Roberta que se sentiu ofendida pela postagem de Milton. Centenas de internautas, entre homens e mulheres, ficaram revoltados com o machismo de Milton.

Foi aí que uma das internautas que acompanhavam a postagem resolveu enviar um print do comentário de Milton para a empresa na qual ele trabalhava, a Promarc Technology Corporation do Brasil, na Flórida (EUA).

O resultado foi a demissão imediata do executivo que, segundo o representante da empresa, Marco Aurelio Modelli, surpreendeu a todos com sua postura nas redes sociais, uma vez que, dentro de seu ambiente de trabalho, Milton jamais havia se comportado desta maneira.

Segundo informações do LinkedIN, Milton era sócio da empresa.

Ao ser notificado pela empresa de sua demissão, Milton ainda tentou se desculpar, dizendo que agiu ''sem pensar'' e que depois percebeu o quão infantil foi sua reação. Segundo Modelli, no entanto, esse pedido de desculpas foi meio tardio e não fez a empresa voltar atrás em sua decisão.

A vaga para o cargo de Milton já foi inclusive preenchida por outro funcionário.

Enquanto alguns usuários do Twitter comemoraram a demissão de Milton como uma vitória contra o machismo e outras formas de discriminação, outros apontam a atitude da usuária que denunciou o comentário como egoísta e desnecessária. Alguns chegaram a dizer que a mulher teria prejudicado um ''pai de família''.

Além do comentário misógino, Milton também já havia postado uma foto com deputado e pré-candidato a presidência Jair Bolsonaro com a legenda: ''Agora que neguinho vai querer morrer.'' Bolsonaro é apontado como autor de diversas declarações polêmicas envolvendo machismo, racismo e homofobia.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo