Mais uma curiosidade sobre coisas que só acontecem no Brasil. O Banco Central vem abaixando os juros sucessivamente e, com isso, esperava-se os reflexos na economia. Mas, infelizmente, não da forma que se apresenta. Durante os últimos dias, ao ver os telejornais o que se esperava era que, com a constante baixa da taxa Selic (hoje em torno de aproximadamente 6,40% ao ano). Em outubro de 2017 chegou a 14,25%) os reflexos iriam se fazer presentes na economia de uma forma mais rápida.

Mas lamentavelmente isso não acontece. Pelo contrário, o médio investidor vem perdendo seus rendimentos sobre os fundos de renda fixa, e a tendência é piorar.

Economia

Já no comércio, o mesmo problema se faz presente, pois os preços ao consumidor se mantem instáveis, evidenciando um problema antigo dos brasileiros chamado inflação. Inflação esta que o governo atual insiste em dizer que está controlada, mas esse controle não se reflete no varejo, por exemplo.

Estamos com uma eleição a bater em nossas portas e um clima de incertezas com candidatos, muitas vezes incertos, e em alguns casos, de caráter duvidoso, entraram em nossos lares mais uma vez pedindo nosso voto, que, na prática, é a nossa "procuração" para governar nosso país.

Muitos apostavam que o governo passado usou os eventos esportivos sediados no Brasil como uma demonstração de crescimento, além de autonomia politica e econômica.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato

O que provou ser um grande castelo de cartas, num mar de corrupção e jogo de interesses que conduziram nossa politica desde longas datas e que nunca esteve tão escancaradas. Super faturamento, obras inacabadas, estádios bilionários onde não se realiza jogos a algum tempo são alguns exemplos desses fatos.

Eleições

O atual ministro da fazenda, senhor Henrique Meirelles, se preocupa com a articulação politica para lançar-se candidato à presidência.

Lula, com dois mandatos nas costas, corre o risco de ser preso e talvez seja até agora o único candidato com força politica - apesar dos recentes escândalos - suficiente para recolocar a esquerda brasileira de volta ao poder depois da acachapante derrota nas últimas eleições, mesmo após tantos contratempos.

Eleições essas que foram reflexos dos dados sobre desemprego e corrupção que nossa esquerda e seus aliados se viram envolvidos no país nos últimos anos.

A pergunta que se faz é: o que esperar depois de outubro? Que Brasil nós teremos daqui exatamente 1 ano, 5 anos, 20 anos? A resposta será dada nas urnas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo