Dia 8 de março, dia Internacional das Mulheres!

Hoje é o dia dos textões profundos sobre a importância das mulheres, dos parabéns, de comparar mulheres a flores e enaltecer o dom de gerar a vida. E, nos outros 364 dias, pode se matar, estuprar, torturar, assediar, com a desculpa de que sim, ela estava vestindo aquela saia curta, claro que ela queria!

Ela apanha e continua com ele, é mulher de malandro, gosta de apanhar!

Ela já tem 12 anos, sabe discernir o certo do errado, essas garotinhas gostam de provocar! Vai me dizer que ela não gosta de ser chamada de gostosa na rua? Isso é frescura!

Por que estamos comemorando o dia se, de acordo com reportagens, 12 mulheres são mortas por dia no país? Falando dos casos registrados na delegacia, vai saber o que acontece país afora, nos cantos mais distantes, com mulheres que foram criadas para casar e obedecer ao marido.

Por que se a culpa é sempre da mulher que provocou e nunca do homem que não entende um não?

Nos últimos anos temos acompanhado mais vozes gritando por direitos iguais. Direitos esses que nem deveriam ser exigidos, já que somos todos seres humanos, e, por principio, deveríamos todos ser tratados com igualdade.

Em paralelo, as notícias de mulheres assassinadas por companheiros permeiam os jornais do país todos os dias.

Ao passo que a mecânica dos relacionamentos abusivos é explicada ao grande público, tomamos mais conhecimento de meninas que são violentadas por membros de sua própria família.

Triste trabalhar o dia inteiro, para as vezes nem mesmo ganhar a metade do que seus colegas do sexo masculino. Triste andar pelas ruas rezando para não ter nenhum homem, à espreita, logo atrás de você. Triste ser sempre o espólio de guerra.

Triste ir para a escola e ser arrancada de sua família. Triste oferecer uma carona e terminar estrangulada. Triste ser obrigada a casar com homens 20, 30 anos mais velhos.

Triste ser chicoteada, em praça pública por estar na companhia de algum homem que não é da sua família. Triste apanhar a noite toda porque alguma mente doentia imagina traições inexistentes. Triste viver em uma sociedade obcecada pela virgindade de nossas meninas, porque sim, somos uma nação obcecada pela sexualidade alheia.

Triste não poder beber sem se preocupar se o fato de dormir por causa do álcool não vai ser entendido como convite.

Antes que comecem as acusações de que queremos acabar com as comemorações, não queremos. Queremos parabenizar a todas as mulheres por viverem desse modo há milênios e ainda terem a coragem de levantar de suas camas todos os dias e encarar esse mundo.

Parabéns por dar à luz mesmo que não te seja permitido gritar de dor na maternidade, apesar de ser um ato tão lindo.

Parabéns por seguirem em frente todos os dias, mesmo quando ejaculam em você dentro do ônibus.

Parabéns pela bravura, mulheres!

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo