Nos últimos dias sempre estou olhando para o céu, percebendo o vento, observando cada detalhe ao meu redor. As pessoas com suas vidas, indo e vindo, os animais de rua, o barulho do trânsito, sorrisos, computadores. Cidadãos levando seus filhos para a escola nas manhãs tranquilas. Notório como em alguns lugares do mundo ainda é permitido perceber e sentir paz.

Na Síria, o mundo é outro, o céu não existe, pai e mãe são extintos rapidamente, aquele barulho estrondoso gera sangue e dor. Paz e amor, não há tempo nem de falar essas palavras, pois o tempo de guerra parece ser infinito.

O caos não tem fim. Crianças choram, e esse som ultrapassa as fronteiras da síria pedindo socorro, onde a vida é apenas um detalhe a ser ignorado pelos governantes.

E o meu céu que olho todos os dias aqui onde moro é o mesmo céu das crianças da Síria, a diferença é que eu posso perceber como é perfeita a arte de Deus, e elas não podem nem sequer admirar por segundo o seu céu, este carregado de bombas que são lançados diariamente fazendo que o grito de socorro dessas crianças seja completamente abafado.

Por que homens chegam a esse ponto de crueldade? A resposta está dentro de seus corações. Mas estas crianças não merecem pagar este preço, elas têm o direito de viverem como todas as outras crianças do planeta, junto de seus pais, indo à escola, sorrir, olha para o lindo céu da Síria.

Certa vez pensei, Deus chora? E me veio a resposta de que sim, ele chora. A maior prova de pureza que temos no mundo de hoje são as crianças, e sabemos o que a bíblia ensina.

As lágrimas das crianças da Síria são as lágrimas de Deus e esses heróis transmitem para o mundo o quanto estamos longe de aprender sobre o amor e a paz. E quando olho para o céu e percebo a imensidão de sentir paz e tristeza ao mesmo tempo porque crianças morrem na Síria; o futuro apagado da história.

O último comboio de ajuda humanitária que chegou na Síria, 70% dos suprimentos foram tomados pelas tropas do Governo, muitos querem ajudar e ajudam, mas o socorro não chega para essas crianças, e pouco de ajuda é insuficiente para amenizar a dor.

A guerra escura está impedindo a luz da esperança de alcançar essas crianças, e fica a tal esperança o único remédio de que essas crianças têm a seu dispor para continuar vivendo e que algum dia possam olhar para o céu da Síria e perceberem a luz da amanhecer, o som da vida, o cheiro da natureza, a beleza das flores, o sorriso de seus pais e o direito de aprender sobre o lado bom da vida cheia de paz, esperança e amor.

Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!