Ao trocar o Barcelona pelo Paris Saint-Germain, o jogador Neymar deu o seguinte recado ao mundo: estou saindo da sombra de Lionel Messi para me tornar protagonista no clube francês e assim ter mais visibilidade para disputar de igual para igual o título de melhor jogador do mundo.

Este, ao que tudo indica, é um dos maiores objetivos do jogador brasileiro. Entretanto, ao que parece, o craque brasileiro não esperava encontrar tantos desafios em sua nova fase.

A impressão que todos nós tivemos quando o jogador Neymar desembarcou na capital francesa com status de pop star, consagrado pelas siglas astronômicas que o PSG desembolsou para contar com o craque, após a transação mais cara e badalada da história do Futebol mundial, era a de que o cenário estava perfeito para epopeia vitoriosa do novo astro e, assim, o tão almejado título de melhor do mundo viria em pouco tempo.

Talvez o que o brasileiro não soubesse, por desconhecer a história do PSG, é que a torcida parisiense já contava com um grande ídolo: o uruguaio Edinson Cavani, que conquistou a simpatia de toda torcida do clube com muitos gols e comprometimento. Aliás, comprometimento é o que a torcida mais cobra de Neymar.

Já na companhia do craque brasileiro, o uruguaio Cavani se tornou o maior artilheiro da história do PSG ao marcar seu 157ª gol, no jogo contra o Montpellier válido pelo Campeonato Francês.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol

A maneira como Neymar chegou ao clube parisiense gerou grande desconforto dentro do grupo de jogadores, principalmente ao ídolo Cavani, que, além de ser o grande xodó da torcida, exerce papel de liderança dentro do elenco. O desconforto entre os dois ficou evidente no jogo contra o Lyon, no episódio que ficou conhecido como o pênalti da discórdia.

A partir daquele momento, o brasileiro passou a ser muito criticado pela imprensa mundial e por parte da torcida do PSG.

Muitas notícias acerca de desavenças dentro do elenco do PSG, sempre envolvendo o nome de Neymar, passaram a fazer parte do noticiário esportivo mundial.

Após um ano no clube, a imprensa dá como certa sua saída para o Real Madrid. O último episódio envolvendo o nome do astro foi a declaração do ex-jogador Chistophe Dugarry, que pediu um posicionamento do brasileiro quanto as especulações sobre sua ida para o clube de Madri.

Neymar mantém a mesma postura que adotou desde que chegou à França, a de se manter calado, o que o distancia cada vez mais do time e da torcida parisiense.

O jogador, fora dos gramados em decorrência da grave lesão que sofreu em fevereiro, não viajou a Paris para acompanhar o seu time, nem mesmo participou das comemorações pelos dois títulos conquistados, a Copa da Liga e o Campeonato Francês. Cena muito comum no futebol é a presença de jogadores contundidos apoiados em muletas comemorando no campo o título do seu time.

Os novos desafios de Neymar

Como se já não bastasse a dura missão de ter que ser melhor que Lionel Messi e Cristiano Ronaldo na corrida pelo topo do mundo e a disputa interna com Cavani pelo protagonismo dentro do time, o jogador ainda se vê fora de combate às vésperas da Copa do Mundo, esta que é a última oportunidade da temporada para Neymar superar os concorrentes.

Os desafios de Neymar não param de surgir e o mais novo atende pelo nome de Mohamed Salah, a grata surpresa da temporada 2017/2018. O egípcio vem fazendo uma temporada fantástica pelo Liverpool, tendo conquistado a artilharia e eleito o melhor jogador da Premier League, para os especialistas, o campeonato é o mais difícil da Europa. Essas conquistas qualificam o jogador egípcio à disputa de melhor jogador do mundo.

A vida de Neymar não anda nada fácil no que diz respeito à busca pela excelência no futebol, mas o que mais chama a atenção é o comportamento do jogado. Ele entra em campo como se pudesse resolver uma partida a qualquer momento com uma de suas brilhantes jogadas, o que de fato não acontece, dada as circunstâncias de cada jogo. Além disso, demonstra uma falta de comprometimento com os objetivos do clube.

O jogador precisa vestir a camisa do PSG, como se diz no meio futebolístico. Ele precisa entender que serão suas atuações para o clube que lhe dará o topo e não apenas sua individualidade que, às vezes, beira ao egocentrismo.

Para ser melhor do mundo não basta ser craque, tem que ser o melhor em todos os aspectos. Deve ser solidário, comprometido com o sucesso coletivo e ter maturidade para lidar com as adversidades. Neymar terá mais um ano para se preparar e sonhar com o topo do mundo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo