Novos ventos estão soprando sobre a ilha. Pela primeira vez desde 1959, Cuba dá passos largos para sua abertura politica e dar fim a ditadura Castro. Mesmo sendo candidato único, Miguel Diaz Canel será o primeiro homem a comandar Cuba sem que haja o sobrenome Castro como representante maior do poder cubano.

A abertura politica que acontece no país nada mais é do que o reflexo das mudanças sociais e econômicas cujo cubanos hoje, com maior liberdade de pensamento e de divergir do sistema cubano, veem a sua volta.

Última barreira do socialismo no continente americano, o grande desafio de Cuba agora será essa transição de um Estado ditatorial, cujo poder esteve concentrado nas mãos da família Castro e seus representantes para a quem deve escolher seus representantes: o povo cubano.

Essa mudança de um sistema socialista para um capitalista está trazendo seus sobressaltos aos trabalhadores. Com a reaproximação dos Estados Unidos e Cuba, o inicio dessa transformação se mostrou evidente.

Um exemplo claro é o fato de porteiros de hotéis e camareiras ganharem com gorjeta (muitas vezes dadas em euros) mais do que professores universitários ou médicos, consequência do controle do Estado sobre a economia e reflexos do início da abertura econômica e maior participação da iniciativa privada em Cuba.

Um país em transição

Rica em níquel e outros minérios e um porto moderno (fruto da parceria entre os governos brasileiro e cubano), Cuba tem modos de escoar sua produção para outros países.

Seus maiores parceiros econômicos hoje, como a maioria de outros países e por questões ideológicas, Cuba se aproximou da China e tem nela seu parceiro comercial mais importante.

Em nossa opinião, o grande desafio cubano será a de fazer essa transição entre um regime totalitário, que pregava a igualdade entre os cubanos, mantendo todos no mesmo nível social com total controle do Estado e uma nova Cuba que se desenha no contexto global.

Um país dando suas primeiras engatinhadas democráticas, abrindo seu mercado, mas ainda dentro de um sistema socialista. Seu novo presidente será empossado nas próximas horas, abrindo novas paginas nos livros de história.

Castro transformou a ilha e gravou seu nome ao dominar Cuba por mais de cinco décadas. Bateu de frente com os Estados Unidos ao se aliar à União Soviética durante a crise dos misseis e na tentativa de invasão a Baía dos Porcos.

Impossível não ligar seu nome ao de Cuba.

Mas o país vai ter que aprender a viver sem a sombra de Fidel ou qualquer outro membro da família Castro. E isso para o seu próprio bem. Mas o primeiro passo já foi dado.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo