Enquanto o Governo tenta tampar o sol com a peneira, o economista João Sicsú, da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), falou poucas e boas verdades. O economista usou a imagem de um homem no fundo do poço seguida da frase: "Ele dá alguns saltos, mas continua lá".

Sicsú tem a certeza de que o Brasil ainda vive uma terrível crise, e diz que nada tem indicado uma verdadeira recuperação da economia brasileira, pelo contrário, ele vê uma piora.

O governo vive dizendo que o (PIB) Produto Interno Bruto, tem crescido a longos passos, mas segundo Sicsú, um crescimento de 1% no (PIB) no ano de 2017 teve apenas um motivo: exportação de agronegócio. Além dos saques do (FGTS), que foi liberado pelo governo Temer.

Já nesse primeiro trimestre, os analistas financeiros já prevêem o desastre que será o (PIB) esse ano. O economista diz que todas as pessoas que andaram comemorando a suposta recuperação da economia brasileira não conhecem economia, e nem história.

Ele deu o exemplo dos Estados Unidos, a maior potência econômica do planeta. Sicsú conta que, em 1929, os americanos passaram por uma depressão financeira e só se recuperaram 14 anos depois. No Brasil, atualmente, o (PIB) cresceu 1% e caiu 8%, além disso o desemprego segue bastante elevado.

Sicsú diz que não enxerga consistência na suposta "recuperação" atual. O economista diz que pode até ter crescido, mas as taxas são baixas e voláteis, e só se sai de uma Crise econômica com um plano organizado.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo Política

O Brasil deveria estar investindo num plano de infra-estrutura e de maior crescimento nos benefícios sociais. Isso é totalmente o oposto do que os governantes estão fazendo, relata Sicsú.

O Brasil está no fundo do poço e o mais preocupante é que não tem ninguém para lançar uma corda no poço, afirma Sicsú citando novamente a imagem do homem pulando no fundo do poço O número de brasileiros que trabalha formalmente com carteira assinada caiu muito, e esses mesmos trabalhadores é que são usados para medir o desemprego.

Além de todos esses fatores já citados, Sicsú diz que ele considera bastante relevante outro indicador: o estoque de capital da economia. O estoque capital da economia é uma taxa que, nos anos onde não houve crise, cresceu pelo menos 1% de um trimestre para o outro, e, hoje, com a situação atual da economia brasileira, cresce 0%.

Mesmo com os governantes tentando minimizar a situação atual da economia brasileira, todos os brasileiros que estão a procura de trabalho e não conseguem sabem que a situação não está melhorando, e, se está, anda a passos de tartaruga.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo