Hoje em dia cada vez mais nos deparamos com pais entrando no vermelho, estourando o limite ao realizar uma festa para os pequenos. Porém, a pergunta que não quer calar é: será que isso realmente é necessário?

Será que realmente uma comemoração luxuosa e de valor extravagante faz parte da realidade do nosso país? Mesmo diante da crise econômica, será que seu filho ou filha não tem outras prioridades?

Será que vale a pena parcelar em pelo menos 24 vezes, ou seja, passar dois anos pagando uma festa que no máximo terá a duração de 4 horas, onde na maioria das vezes o aniversariante passa a maior parte do tempo correndo, pulando e se divertindo com as demais crianças e quem na realidade desfruta da festa são os adultos?

Claro, que cada um educa e cria seu filho da maneira que quiser, e que sempre queremos proporcionar o melhor para os nossos filhos, não é verdade?

Porém, se pararmos para avaliar as festas de antigamente, elas eram bem mais simples, criativas e reconfortantes.

Nos divertíamos com os balões e outras brincadeiras, saboreávamos o bolo e os docinhos e os lanchinhos da festa e tudo feito em casa pela mamãe. A simplicidade da celebração não deixava nada a desejar e muito menos tínhamos que gastar verdadeira fortuna para cantar um ‘’Parabéns’’. Quem se lembra?

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Maternidade

Em outros países os pais ainda apostam na simplicidade do evento, pois nem sempre o mais caro é o melhor. Mas o primordial, no Brasil das festas de aniversário atualmente é a ostentação e quem gasta mais, e tudo isso devido às decorações luxuosas e de alto custo, a contratação de animadores e personagens, o aluguel de brinquedos, entre outras coisas.

No final das contas, a celebração acabará sendo o centro das atenções nas redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram) e os pais se realizam com comentários falsos, diversas curtidas e alguns compartilhamentos.

Sim, com certeza isso vai massagear e engrandecer seu ego.

Mas avalie se realmente você precisa disso? E o mais importante, o seu filho vai se lembrar da festa? Ou o mais legal de todo o espetáculo foi para ele as brincadeiras com os amiguinhos?

Não deixe que sua vaidade comprometa seu orçamento doméstico e considere que, para os pequenos, o seu dinheiro não tem valor. Só os adultos valorizam e comparam os preços das coisas, o seu filho lembrará amor, seu carinho e o seu companheirismo.

Reflita se este desperdício de dinheiro é realmente necessário, não queira investir o que não possui. Afinal, os convidados nem vão se lembrar na semana seguinte do evento, e muitas vezes saem até reclamando disso ou daquilo.

Considere tudo ao iniciar os preparativos da festa os gastos as prioridades, suas possibilidades e o que realmente fará seu pequeno ou pequena feliz. Afinal, filho feliz é o que nos importa e não convidado(a) satisfeito(a).

Quem se identifica?

Gostou do artigo? Compartilhe com os amigos e em suas redes sociais.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo