A discriminação ainda persiste no Brasil, muitas pessoas avaliam o caráter de uma pessoa pela cor da sua pele, condição social e nível intelectual. Aqueles que escravizam no passado criaram uma cultura de superioridade que resiste até os dias atuais, sendo possível em pleno século 21 vermos difundidas atos e ações que nos remetem a discriminação de indivíduos pelo simples fato deles portarem o cabelo crespo ou o tom de pele escura.

Políticas Públicas

As políticas públicas apresentadas pelos legisladores e governantes tentam minimizar a falta de espaço para pretos e pardos na Educação e no serviço público através das leis de cotas, mas há muita resistência para que isso funcione de fato e corrija distorções históricas na realidade brasileira. Muito já foi feito e conquistado, mas precisamos aprimorar o sistema para que conquistas não sejam perdidas por que alguns discordam delas. Geralmente quem discorda é quem não vive essa realidade, se tornando contrário apenas porque quer ser contrário.

Há quem discorde

Nos debates sobre as cotas há quem diga que as mesmas podem fazer aumentar a discriminação, pois as pessoas que usufruem do direito não são inseridas por conta da sua capacidade ou inteligência, mas pela quantidade de melanina que tem impregnada na sua pele, esse pensamento não corrobora com a ideia estabelecida pelas cotas, uma vez que, as leis de cotas tem como objetivo central corrigir as distorções históricas no país.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Educação Concursos

Certo é que os números de inclusão de pretos, pardos e pessoas com necessidades especiais cresceu consideravelmente após a criação das leis de cotas, o que nos remete a finalidade da iniciativa que é promover a inclusão.

Criação e endurecimento das leis

Por ser ainda considerado algo novo, o sistema de cotas depende de avaliações que levem ao seu aprimoramento e não venha a criar outras distorções no futuro, mas de antemão é possível afirmar que houve progresso em termos de inclusão, o ensino superior era algo quase inatingível para os negros do Brasil em um tempo recente, mas que hoje é possível observar que as Universidades contam com uma miscigenação bem maior que duas décadas atrás.

Aquelas pessoas que se acham melhor que as outras por conta da sua pele clara ainda estão por aí, mas o endurecimento de algumas leis, e a criação de outras, têm proporcionado uma diminuição do racismo. Em suma, as leis de cotas vieram para ficar e têm auxiliado no reparo dos equívocos da nossa história. É um passo importante para que tenhamos uma sociedade mais humana e igualitária para todos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo