Há poucos dias, todo o nosso Brasil parou diante da TV, nos noticiários e assistiu a mais um desastre que abalou nosso povo. No Centro de São Paulo, a capital comercial do Brasil, um prédio em chamas e desabando, fazendo, assim, com que famílias humildes e de baixa renda perdessem o pouco que tinham na vida.

Muitas perguntas ainda precisam ser respondidas quanto a este fato: De quem é a culpa? Por que essas pessoas estavam vivendo neste local?

Que situações o prédio internamente tinha?

Diante de tudo isso, além do prédio em questão, uma igreja luterana, localizada bem ao lado do prédio em questão, também foi atingida. Muitas história envolvida nas paredes desta igreja com certeza. Em meio a este cenário, faz-se importante salientar como de um desastre, o coração das pessoas se solidariza.

Diante de tanta maldade no mundo, podemos ver neste cenário de que o brasileiro em geral tem o coração bom e ainda se deixa tocar pela desgraça que assola o irmão.

Muitas pessoas se mobilizaram em prol das vítimas desse desabamento, muitas pessoas partilharam um pouco de si com os que mais necessitavam.

São sinais de que ainda vale a pena apostar na raça humana. Se muito se fala das maldades e atrocidades, precisamos de "good news" (boas notícias). Em meio as tragédias desponta a solidariedade e o maior de todos os sentimentos: o amor. Precisamos difundir esse sentimento.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Vagas Governo

Aqui é importante salientar o papel, por exemplo, que a Igreja Católica de São Paulo está desempenhando. Muito além de somente ajudar as vítimas com o que precisam em suas necessidades básicas, a Igreja Católica ofereceu a Igreja Luterana, que perdeu seu templo, um local para que possa continuar seus cultos e encontros.

Romper o estigma de que cada religião precisa viver isolada, seguindo suas normas e preceitos, é ser fariseu no mundo de hoje.

Cada um segue sua doutrina, mas todos seguimos a Jesus Cristo. Afinal, somos todos irmãos.

Se não acreditarmos que nosso modelo de atuação e vida é Jesus Cristo, de nada adianta dizer que temos fé. Enquanto as religiões batalharem entre si por números de fiéis, o mundo continuará sofrendo e o que Jesus Cristo tanto ensinou será esquecido.

Essa tragédia e a ação da Igreja Católica evidenciam um caminho que todas as religiões deviam seguir: respeito nas diferenças e união naquilo que é desejo comum de todos, o bem da humanidade e da obra maior da criação, o ser humano.

A Igreja Católica abriu suas portas, creio que outras igrejas também. Mas esse gesto de oferecer um templo católico para que os luteranos possam continuar seus cultos e celebrações é uma atitude louvável e de muito respeito inter-religioso.

Precisamos romper as barreiras da intolerância religiosa e nos unir naquilo que nos faz todos irmãos: a certeza de que precisamos lutar pelo bem do ser humano em todas as suas dimensões.

Da tragédia brota um sinal de esperança de que isso é possível.

Mas não precisamos esperar outras tragédias para que isso aconteça. Com gestos simples e cotidianos podemos fazer isso acontecer em nosso dia-a-dia, a partir do momento em que cada um respeite a escolha do outro.

Somos todos irmãos e é preciso acreditar que isso é possível. Não esperemos outras tragédias para que o bem inter-religioso possa acontecer. Que isso seja uma constante em nosso Brasil e no mundo.

Estamos cansados de acompanhar nos noticiários situações onde, em nome da religião, pessoas são brutalmente mortas. Quantos sofrem por ter que pagar por coisas que não são responsáveis.

Precisamos divulgar essa questão. É necessário romper essa barreira. Que bom que a Igreja Católica teve esse belo gesto. Que possamos também nós romper qualquer forma de exclusão, pois somos todos irmãos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo