Se você tem uma ONG, trabalha em uma, sabe bem que elas só sobrevivem através da captação de recursos, correto? E uma delas é a conhecida face-to-face, ou seja, captação cara a cara.

Esse sistema conhecido de captação foi desenvolvido ainda na década de 1990 pela ONG GreenPeace e, meses após sua criação, esse sistema já estava se espalhando pelos quatro cantos do mundo. Mas afinal de contas, como é que ela funciona?

Na verdade, é tudo bastante simples. A captação se dá através de um diálogo franco e sincero entre o doador e a pessoa que está captando aquele recurso. Assim sendo, os captadores estão nas ruas, devidamente identificados e acabam abordando as pessoas ali mesmo para uma conversa.

Assim, eles apresentam a ONG, a história de sua fundação, como eles transformam a vida de milhares de pessoas e tudo mais!

Existem algumas ONGs que, inclusive, levam máquinas de cartão de crédito e débito para que a doação, de qualquer valor, seja feita na hora.

Sim, a eficácia desse método é sensacional e tem uma aceitação muito maior do que as demais! ONGs que começaram a utilizar o face-to-face passaram a aumentar, consideravelmente seus recursos financeiros.

Mas por que o método é eficaz desse jeito?

A fórmula do sucesso é muito simples.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Educação

Na captação face-to-face, os captadores passam a se aproximar muito mais dos possíveis doadores, conseguem tirar duas principais dúvidas, conseguem trazer calor humano para um negócio que antes não tinha. Além disso, comprovam a autenticidade dos projetos e dos resultados. Assim sendo, passam a despertar a solidariedade nas pessoas!

Outro fator é a tecnologia envolvida no caso. Hoje, temos na palma da mão um formulário rápido e intuitivo de fazer.

Antes tínhamos papel e caneta para responder a uma série de perguntas que nos davam preguiça.

Fora que com a tecnologia você consegue segmentar melhor a sua prospecção, gerando relatórios válidos e de confiança para a ONG, que traçam o perfil das próximas captações. A relação custo/benefício também deve ser levada em consideração, já que outras estratégias tradicionais, como mala direta, podem acabar saindo bem mais caras e com a eficiência diminuída.

A captação FTF consegue ser adequada para empresas de grande porte, assim como atende bem a demanda das empresas de média e pequeno portes. Vale a pena investir!

Lembre-se: o captador deverá passar por um treinamento antes de ir às ruas, de modo que ele consiga bater todos os argumentos com sabedoria e consiga os melhores resultados, sem erro. É importante acompanhar o seu time, entender as necessidades e ver no que você, enquanto líder, poderá ajudá-los.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo