No Brasil, houve um crescimento do estudo sobre educação sexual nas universidades, uma boa relação de escuta suporta não saber tudo, ou seja, a incompletude. Porém, não estamos acostumados com isso porque nos relacionamos com saber sob uma perspectiva conteudista, isto é, que outro vai dizer será exatamente o que eu vou entender e se eu não entender problema está no que ele disse, isto é um erro de comunicação, muito comum hoje em dia de quem não sabe interpretar palavras e sentimentos.

Já o Estado deve cumprir seu papel social, não devendo retroceder no tratamento de questões que tendem alimentar Preconceito e a discriminação, devendo incentivar tratamento igualitário independente de orientação sexual. Percebemos, cada vez mais, que o desafiador cenário globalizado vem a ressaltar a importância dos relacionamentos, não é demais lembrar o peso e o significado da intolerância sexual.

Várias vezes no cinema, a homossexualidade foi apresentada num contexto dramático, o ator não se aceitava por ser homossexual e não sabia como encarar o preconceito enfrentado em casa pelos familiares, como seus amigos iriam reagir, dezenas de incertezas pela qual o artista passava, e mesmo na maioria das vezes sendo ficção, conhecemos pessoas que passam pelo mesmo problema, a falta de ajuda e de orientação pode causar uma enorme confusão na mente da pessoa que está passando por essa situação e algumas vezes ela pode recorrer até mesmo a tirar sua própria vida, acreditando que seu sofrimento terá fim, não julgar é com certeza a melhor forma de ajudar alguém que passe por esse problema.

É importante considerarmos também outros problemas sofridos por homossexuais, como a adoção de crianças, como não se lembrar do casal gay de Curitiba que foi alvo de panfleto homofóbico. Em entrevista João Pedro disse que assim como uma família tradicional, eles pretendiam ter sua própria casa, unificar uma família e ter qualidade de vida, o casal registrou boletim de ocorrência na Delegacia de Vulneráveis após o ocorrido, no entanto as palavras pejorativas que denegriram o casal são tão evidentes que nenhuma lei ou justiça será capaz de apagar o momento vivido pelo casal.

É claro que o senso comum das pessoas diz que conscientizar a população sobre a homossexualidade é a melhor alternativa, no entanto essa proposta é muito vaga, deveríamos num primeiro momento fazer mais estudos na vida de crianças, adolescentes e adultos para identificar de onde surge, quem incentiva esses pensamentos na sociedade, para então elaborarmos uma alternativa viável para reduzir os crimes cometidos contra os homossexuais.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo