Thalita Oliveira postou um vídeo nas redes sociais falando que nasceu homem, mas se assumiu mulher depois que cresceu. Arrumou um companheiro responsável e teve um relacionamento estável por um período até que começou a frequentar igrejas evangélicas. A partir daí voltou a se vestir como homem e passou a orar e jejuar pedindo a cura. Antes mesmo que a cura viesse ela foi convidada a pregar nas igrejas dando seu testemunho de que tinha voltado a ser homem.

Ela garante que Deus nunca respondeu sua oração pedindo a libertação voltando a ser homem definitivamente. Mesmo assim foi de igreja em testemunhando de que era possível ser curado, tento o apoio de diversas celebridades gospel, como Marco Feliciano. Para isso ela mudou as vestes, retirou o silicone dos seios e cortou os cabelos.

Durante esse período ela sobreviveu financeiramente do que ganhava das igrejas para pregar sobre a possível cura.

Ela afirma de em cada culto que participava ganhava de 500 a 1700 reais. Ela deveria falar de uma libertação, mas na verdade ela falava de sua renúncia, pois sua vida havia mudado apenas no exterior, sua vida íntima e seus pensamentos ainda eram de mulher.

Depois de um tempo lutando e implorando para Deus por sua libertação total, que lhe gerava muito sofrimento, ela chegou a conclusão que o Criador era poderoso para criar o mundo e as galáxias, bem como tudo que há neles, e teria poder suficiente para transformá-la se ele realmente quisesse.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Fofocas

Como não houve transformação ela constatou que Ele lhe aceitava como ela é, e foi o que ela fez a si mesma. Se aceitou como mulher, e voltou a viver como uma.

Ela disse que a cura que a igreja promete é falsa, o que pode haver é uma escolha da pessoa em renunciar sua vida de mulher e voltar a ser homem, mas Deus não lhe exige nada. Para ela a pregação e a pressão que a igreja evangélica faz para que as pessoas se transformem dessa maneira causa muito sofrimento, pois ninguém consegue ser o que não é.

Hoje ela garante que é assumidamente mulher e muito feliz e bem resolvida. Por isso, resolveu contar os bastidores do que acontece nas igrejas que prometem a falsa cura. Ela afirma que essa exigência é das religiões e não de Deus, pois ela sente que tem a liberdade perante Ele de ser o que ela quiser e ainda ser aceita por isso.

Agora ela pede que todos assistam e compartilhem seu vídeo dando sua opinião sincera sobre o que viveu no período que frequentou igrejas evangélicas.

Assista o vídeo:

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo