Um trágico incêndio, que teve início por volta das 19h30 deste último domingo dia 02, atingiu o Museu Nacional que fica localizado na Quinta da Boa Vista, no bairro São Cristóvão, Zona Norte do Rio de Janeiro.

O Museu Nacional é vinculado ao Ministério da Educação e é a mais antiga instituição científica do Brasil. Em seu acervo histórico era possível encontrar peças datadas da época do Brasil Império, múmias, fósseis, entre eles do Dinossauro Dino Prata e de Luzia, fóssil humano mais antigo encontrado no Brasil, além disso, haviam registros históricos e coleções de arte da Imperatriz Teresa Cristina.

Na segunda-feira (3), manifestantes deram um abraço simbólico no museu para protestar contra o descaso de governantes com a instituição que vinha passando por várias dificuldades financeiras. Recentemente o museu havia feito uma “vaquinha virtual” com o objetivo de arrecadar recursos para reabrir a sala onde ficava a instalação do dinossauro Dino Prata.

A falta de recursos vem de longa data, em 2015, por exemplo, o Museu Nacional chegou a fechar as portas em consequência da falta de repasses do Governo federal. Na época o funcionamento foi prejudicado por falta de pagamento aos funcionários.

Retrato de um país com problemas

Nessas primeiras 48 horas após o incêndio que destruiu 90% do acervo do Museu o sentimento ainda é de luto. De acordo com pesquisadores, estudantes e visitantes do Museu a perda é incalculável. No incêndio grande parte da história do Brasil e do mundo foram perdidos. O que ficou no lugar são questionamentos com relação ao descaso com a cultura do país. O incêndio apenas retrata como assuntos relacionados a educação e cultura são tratados no Brasil, com morosidade, burocracias infinitas e pouca vontade em preservar e melhorar as condições de institutos que guardam a nossa história e cultura.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Governo

Infelizmente essa não é a primeira vez que algo semelhante acontece no Brasil com instituições ligadas a cultura. A BBC News Brasil fez um levantamento de acontecimentos parecidos como esse e em um período de 10 anos e os números impressionam. Como os incêndios no Memorial da América Latina em 2013, no Centro Cultural Liceu das Artes e Ofícios em 2014, no Museu da Língua Portuguesa em 2015 e na Cinemateca Brasileira em 2016.

Podemos perceber que o descaso com nossa cultura se estende a longo tempo.

O descaso está presente na burocracia para liberação de verbas, na má administração de recursos, na priorização de projetos que interessa somente a uns poucos. Em quanto isso partes de nossa história e cultura estão sendo perdidas para o fogo da negligência.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo